don’t worry it’s gonn’be happen

Todos sabemos que a coisa mais difícil para o ser humano é dizer “te amo” quando ele realmente ama aquela pessoa, porém, há um momento quase tão cruel quanto a hora de expor nossos sentimentos, esse momento é aquele em que paramos para pensar a hora certa de demonstrar o que sentimos por alguém.

Em que momento podemos dizer que amamos alguém sem nos preocuparmos em parecer apressados?

Quando tudo flui no ritmo “natural” das coisas, a vontade chega na hora certa, e certamente você sabe que será abençoado com a reciprocidade do sentimento; mas e quando você se encanta tão rápido por alguém que quer logo torná-la sua? Você sabe que existe amor aí, talvez bem pouco, o comecinho, mas existe. O problema é: E se a outra pessoa não sentir o mesmo, ainda?

Aí começa o desespero… Você precisa por pra fora essa confusão que está acontecendo dentro de você, mas você não quer que essa confusão fique mais confusa; porque todos nós sabemos, sempre pode piorar!

O DILEMA: Você pode contar sobre o que está sentindo e arriscar perder a pessoa, ou a deixar assustada com a velocidade dessa “relação”; ou você pode guardar pra você, e sofrer calada enquanto nada acontece, ou acontece tão rápido quanto uma Tartaruga.

Siga seu coração, sentimentos são tão inconstantes quanto as estações do ano, não confunda sua cabeça com coisas que seu coração planeja sem fundamentos, assim como a alegria, a dor também passa um dia. Relaxe e aproveite essa montanha russa que é a vida.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.