empodere-se (desde que você tenha dinheiro pra consumir)

Batom empodera, música empodera, roupa empodera mas a situação de exploração sócio-econômica continua firme. Cada vez mais empresas apelam para o “empoderamento feminino” através do consumo. É o batom vermelho que te deixa empoderada, a roupa que te faz ser linda do jeito que você é ou o shampoo que permite mostrar sua real beleza. As empresas já descobriram que investir em propaganda que exalta esse empoderamento através da autoestima é bem lucrativo.

Não caiam nessa, empoderamento não pode ser considerado estritamente individual, uma forma de se sentir mais confiante a partir da sua aparência ou do que você consome - levando aí em conta também produtos culturais. Empoderamento é mais do que isso.

Enquanto o capitalismo lucra fazendo mulheres acreditarem que auto confiança e autoestima são coisas que podem ser compradas, milhares de outras mulheres tem seu trabalho explorado pela indústria da beleza e da moda todos os dias, sem contar as implicações em outros aspectos: ambientais, direitos dos animais, etc.

Não, amiga. Ninguém vai te impedir de usar seu batom nem sua camiseta com dizeres feministas, muito menos te obrigar a fazer suas próprias roupas ou usar produtos produtos naturais. Estou aqui só lançando uma questão. Isso te empodera de fato ou só te faz sentir bem até surgir um outro lançamento do mercado (que você necessita comprar, claro)? Isso empodera as mulheres ao seu redor ou enriquece grandes indústrias? É só um exercício de reflexão mesmo. Cada mulher é independente pra fazer o que quiser com seu dinheiro, não é mesmo?

Agora vejam só a lista com Princípios de Empoderamento das Mulheres da ONU Mulheres:

Empoderar mulheres e promover a equidade de gênero em todas as atividades sociais e da economia são garantias para o efetivo fortalecimento das economias, o impulsionamento dos negócios, a melhoria da qualidade de vida de mulheres, homens e crianças, e para o desenvolvimento sustentável.
Ciente do papel das empresas para o crescimento das economias e para o desenvolvimento humano, a ONU Mulheres e o Pacto Global criaram os Princípios de Empoderamento das Mulheres. Os Princípios são um conjunto de considerações que ajudam a comunidade empresarial a incorporar em seus negócios valores e práticas que visem à equidade de gênero e ao empoderamento de mulheres.
 Conheça os sete Princípios de Empoderamento das Mulheres:
1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível.
2. Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação.
3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.
4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres.
5. Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing.
6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social.
7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

Infelizmente “empoderamento” se tornou um chavão pra estimular o consumo e nesse sentido continua excluindo mulheres pobres e periféricas. Sim, se sentir bem e bonita pode ser o primeiro passo pra dar a volta por cima em determinadas situações, mas será que isso é suficiente quando pensamos no coletivo? Precisamos ir além do individualismo, precisamos questionar os discursos da mídia, que é cobra criada, quando pensamos no que é de fato empoderamento. Caso contrário, acabamos por esvaziar de sentido um termo que pode realmente transformar a vida das mulheres.