Mais um texto sobre o #DesafiodaMaternidade
Vanessa Franquilino
81

Oi, Van. Adorei seu texto! Uma das coisas que me incomodou nesse desafio não é o fato da exposição de momentos felizes, como várias amigas colocaram no Facebook, seria pra lembrar que a maternidade também tem muitas coisas boas que esquecemos de comemorar pela avalanche de problemas do dia-a-dia. Nas redes sociais vejo momentos felizes todos os dias. Vejo todos os dias mães e filhos felizes, fotos lindas, curto, acho bacana também acompanhar as pessoas que a gente gosta e que tem não oportunidade de ver sempre, já que não temos mais aquele tempinho pra visitar os outros, tomar um café e ver o álbum de fotos do último aniversário dos pequenos.

O que me incomoda nisso é o formato viral de corrente disfarçando uma campanha a favor da maternidade mesmo ela não seja desejada com um recado implícito tipo “olhe, você pode não querer agora mas veja como é maravilhoso ser mãe e o sofrimento vale a pena”. Imagino uma mulher lendo os posts do desafio e pensando “nossa, como posso não querer isso, se é tão maravilhoso”, “Que tipo de monstro eu sou por considerar a opção do aborto caso descubra que espero um bebê com microcefalia”…

Depois do que aconteceu com a moça que teve a conta bloqueada por discordar do desafio, só tive ainda mais firmeza no que estava pensando. Não é um desafio individual, não é uma simples demonstração de amor mãe-filho, nunca foi.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.