Image for post
Image for post

Nos últimos meses, o blog teve que ser deixado de lado. Dentre tantos compromissos e necessidades pessoais, familiares e profissionais, uma nova demanda ocupou um grande espaço em minha vida e a solução foi suspender a escrita por um tempo. Essa demanda tem ocupado não só o meu tempo físico e mental, mas principalmente toda a minha barriga!


Image for post
Image for post

Você investiria em algo que aumenta o risco e diminui o retorno potencial do seu dinheiro? Pois é, eu também não!

Veja as 7 razões pelas quais eu não gosto de fundo de investimento*:

1. Altas taxas de administração

Esses fundos de investimento costumam cobrar taxas de administração entre 0,5% e 2,5% ao ano sobre o patrimônio do fundo. Isso significa que essa taxa incide não apenas sobre o rendimento do seu dinheiro, mas sobre todo o valor investido. Essa taxa diminuiu o seu investimento inicial e dificulta a rentabilidade do dinheiro.

Por exemplo, se em um investimento sem taxa de administração seu dinheiro rende 10% a.a., ele precisará render mais de 12% a.a. em um fundo com taxa de administração de 2% para você ter o mesmo retorno. …


Image for post
Image for post

Ao longo da minha vida profissional, acompanhei diversas realidades empresariais diferentes.

Como consultora, atendi pequenos consultórios médicos e pequenas empresas. Como analista de um fundo de investimento de seed capital, acompanhei empreendedores e start up’s ao longo do tempo. Em minha própria empresa, verifiquei os desafios da gestão financeira. Além do acompanhamento, auxílio e aconselhamento de diversos alunos, amigos e conhecidos que se aventuram pela selva empreendedora.

Observando essas realidades, listei as principais dicas financeiras que tenho para quem quer empreender ou já é um empreendedor.

1 Antes de começar, faça uma reserva.

Se você está planejando abrir sua empresa e está naquele processo de verificar o que é mesmo necessário, não se esqueça de preparar a sua reserva financeira. Abrir uma empresa custa dinheiro, mesmo que você não tenha que aportar nenhum centavo nela. Você precisa sobreviver e a empresa precisa de tempo para dar certo. Por isso, você precisa de fôlego. Se sua condição financeira obriga que sua empresa dê certo em seis meses, seu risco é extremamente alto e a chance dela não dar certo também. Agora, se você conseguir alongar esse prazo, aumenta seu espaço de manobra, seu tempo para aprendizado e suas possibilidades. …


Image for post
Image for post

Muita gente acha que poupar é uma questão de ganhar o suficiente. Mas, isso não é verdade. Pode até ocorrer de sua situação financeira te impossibilitar a poupança. Contudo, não é isso o que acontece na maioria dos casos.

Existem duas causas principais (provadas cientificamente) pelas quais as pessoas não poupam. Apresento-as abaixo e aproveito para dar dicas de como contorná-las.

1) O conflito dos “Eu’s”

Não há quem manifeste que não gostaria de ter um futuro tranquilo e feliz. Isso todos querem. Porém, muitos não querem, ou não se dispõem, a realizar os esforços necessários para isso.

Na hora de planejar o que se pretende viver, todos sabem da importância da poupança e conseguem projetar uma atitude adequada. Porém, quando surge uma tentação, começa uma luta interna entre a parte que quer se manter fiel a esse plano e a parte que quer desfrutar do prazer imediato. …


Image for post
Image for post

CDB, ou Certificado de Depósito Bancário, é um título emitido pelos bancos para captação de recursos. Em linguagem simples: é uma forma de você emprestar dinheiro para o banco.

E porque você gostaria de emprestar dinheiro para os bancos? Porque trata-se de um bom rendimento de renda fixa com baixo risco!

Em alguns casos, o CDB é tão seguro quanto o Tesouro Direto (empréstimo para o governo) e costuma pagar uma taxa melhor.

Os CDB’s possuem garantia do Fundo Garantidor de Crédito (http://www.fgc.org.br/), …


Image for post
Image for post

Vamos começar esclarecendo as coisas: o Instagram é uma ferramenta de marketing poderosa.

Com mais de 500 milhões de usuários ativos, as maiores marcas do mundo têm visto o Instagram como uma plataforma essencial. Haja visto que mais de 90% das 100 Top Marcas do mundo estão presentes no Instagram, 7 das 10 hashtags mais usadas no ano de 2016 são de marcas e que 65% dos posts de melhor performance do Instagram mostram produtos (fonte: simplymeasured.com).

Então, por mais que você insista que usa o Instagram para ver seus amigos, podemos concordar que o Instagram te usa para vender.

E qual o mal disso? Bom, aparentemente, nenhum, mas quero te provar nesse post que o Instagram tem grande potencial de te deixar mais pobre e menos feliz.


Image for post
Image for post

Não há dúvidas de que o cérebro e a mente humana são ferramentas poderosas. Porém, precisamos ficar muito atentos para os erros que eles podem nos levar a cometer. Por exemplo, veja as duas retas abaixo. Qual delas é maior?


Image for post
Image for post

Recordo-me como se fosse hoje de um lençol que eu tinha quando era pequena. Ele era azul e tinha muitos bonequinhos desenhados. A lembrança que tenho de estar deitada na cama, observando o lençol, deve ser de quando eu tinha uns 3 ou 4 anos, mas parece extremamente atual.

Uns 10 anos depois, minha mãe decidiu dar esse lençol para a minha avó. Ela o havia pedido porque seu uso tinha feito com que ele ficasse extremamente fino e macio. Minha mãe, muito generosa, deu o lençol, e eu quase morri quando descobri.


Image for post
Image for post

Muita gente tem medo de fazer declaração de imposto de renda, acha difícil e complicado e fica feliz em terceirizar essa atividade para um amigo ou contador.

Porém, o que essas pessoas não sabem é que essa terceirização não tira delas a responsabilidade do que está sendo declarado. Além disso, é impossível, inclusive para um ótimo contador, fazer uma declaração correta se a própria pessoa não se dedica nem um pouco para esse processo.

Eu comecei a fazer Declaração de Imposto de Renda com 15 anos. Meu pai sempre fez suas próprias declarações e desde essa idade “pedia a minha ajuda” para realizá-las. No início, eu fazia o operacional e sou muito grata pelo tanto que pude aprender nesse momento de convivência com ele. …


Image for post
Image for post

Preciso admitir: no final do ano passado, o blog esteve bem parado. Mas, felizmente, eu tenho um motivo muito justificável. Afinal, eu estava fazendo uma disciplina na pós-graduação da UFMG que tem tudo a ver com o blog: Economia e Finanças Comportamentais.

Essa linha de estudos busca entender como as pessoas se comportam ao tomar decisões de consumo, investimento, etc, e eu estou podendo vincular muito dos estudos com os assuntos aqui do blog. Hoje, eu vou falar de um desses aspectos.

O primeiro carro que tive foi um Palio. Na verdade, o carro era meu e da minha irmã, mas, depois que ela casou, ficou só para mim. Eu amava meu Palio, as outras pessoas não. Meu pai chamava meu carro de “estrupiçado”, minha mãe dizia que o carro já estava velho, mas eu amava meu carro mesmo assim. …

About

Lilian Byrro

Professora de Finanças

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store