No espaço entre o fim e um novo começo

A verdade é que nenhuma dor é eterna, assim como nenhum amor, contrariando a certeza que carregamos no auge dos vinte e poucos. É só o amor acabar que a dor se inicia, e assim perdura até que outro amor apareça trazendo um alívio quase imediato. E a gente esquece, como se nunca tivesse se machucado antes. Volta a sonhar acordado, a escutar músicas e a lembrar do sorriso, a sentir um cheiro e lembrar do calor da pele do outro.

E um dia acaba de novo, e a dor volta, mais forte e latejante. E então de novo passa, dessa vez sem outro amor chegar, de tão cansada de insistir. E você percebe o quão importante são as pausas que a vida dá de vez em quando. É o momento de plantar, de investir na sua felicidade, nos seus sonhos, de aprender algo novo, de aprender a ser livre. E poucos realmente são livres.

A maioria das pessoas estão acorrentadas ao passado, com alguma dor que ainda lateja, ou alguma ferida que ainda não cicatrizou, e é por isso que há tantos feridos soltos por aí, ferindo e ferindo sem parar. Pessoas feridas ferem pessoas. É a lógica mais verdadeira que conheço. Enquanto não sararmos nossas feridas — todas elas, continuaremos machucando inocentes nesse meio percurso. Porque não existe nada mais afiado que um coração amargurado misturado a uma carência disfarçada de gentileza.

Desconfie dos que dizem te amar sem terem cruzado alguma crise ao seu lado. Não se conhece as pessoas na alegria. As conhecemos no desespero, na tristeza, na raiva e na amargura. Somente nestas ocasiões somos capazes de mostrar a nossa verdadeira essência. Gente que ama fácil, quase sempre entendia-se na mesma velocidade. Desconfie de quem muito fala de si, aquilo que é tesouro geralmente escondemos debaixo de sete chaves. Não alardeie as suas vitórias, mas também não enalteça por muito tempo os erros do passado. Apenas siga em frente, em busca do que te faz melhor e do que te faz feliz. A vida se encarrega de limpar nossas feridas, colar os caquinhos do coração e dar o troco aqueles que não souberam nos valorizar.

Ser feliz do jeito que for, do jeito que sou.