[re] começos

Quantas vezes o “re” fará parte das nossas vidas? É uma busca constante, virar a página e deixar o rascunho para trás e começar pra valer. Porquê tem que ser de uma vez só? Porquê o que vem antes, o que não deu certo, tem que ser o errado?

Após algumas tentativas e depois de dizer várias vezes para mim mesma “agora vai”, “agora é pra valer”, como apagar o que aconteceu, esconder o que deu errado e ir para o certo, para a vitória? Não! Para mim chega!

Porque o errado também tem lá seus ensinamentos, também tem o seu mérito. E essa talvez seja a epifania dos meus trinta… essa estória de recomeçar, pelo menos para mim, é página virada. De hoje em diante, eu apenas ando, dou passos… Não tem rascunho não senhor, não tenho que passar a borracha nada. Deixe minhas marcas em paz, se pra você é rabisco, respeite, porque eu também sou feita de rabiscos. Também sou feita de tentativas erradas. E perceba, sempre foi pra valer, nunca foi rascunho.

Cada passo que dei, me trouxe até aqui, e eu justamente precisava chegar até aqui, para poder entender isso, para admirar o meu caminho, para aprender com ele. Cada passo me deu exatamente o que eu precisava para seguir em frente, mesmo quando fui para a direção contrária, mesmo quando me perdi.

Como podemos recomeçar, buscar um novo começo, se continuarmos a ignorar nossas atitudes, nossos erros? Achar simplesmente que a culpa não é nossa, é falta de maturidade para lidar com a consequência das nossas próprias ações, inclusives as não ações, o não fazer nada também é uma ação que tamb[em gera uma reação.

Eu simplesmente parei de querer recomeçar, a minha vida já começou faz tempo. Cada história é única, cada momento, cada reação, e foram exatamente todas elas que me tornam o que eu sou hoje, todas sem nenhuma exceção. Se tivesse dado um passo diferente, não seria esse eu aqui e agora, seria eu mas uma versão diferente. Essa só existe pelo conjunto do todo, todos os passos, essa personalidade, esses valores, esses sonhos todos, estão todas ligadas à cada passo meu.

Perder-se também é um caminho, já dizia Clarice. E não é mesmo? Você pensa que é perda de tempo, passar pelo caminho que já passou, mas na volta, sua bagagem é outra, vemos coisas diferente, as mesmas coisas que talvez passamos despercebidos da primeira vez, ou que até notamos, mas agora tem um significado diferente, um momento diferente. E por isso recomeçar já não me satisfaz, me deixa incompleta. Eu quero ser e sou tudo aquilo que fui, todos aqueles sentimentos que senti e todos aqueles momentos que vivi, e talvez apenas assim, entenderei o que é esta vida minha.