Poesia simples

“The Passion of creation” — Leonid Pasternak (1892)

Mastigar de vidro os estilhaços, 
Caçoar da vã morte em teus braços, 
Fustigar da minha sina os passos,
Fomentar do nosso amor os laços, 
Castigar com desejos os castos, 
Saciar-se em dissabores baços, 
Rascunhar nosso futuro em traços, 
Lamentar do vil presente os fatos, 
Apagar do ido passado os rastros, 
Conquistar neste teu mundo espaços, 
Contemplar do infindo céu os astros

E viver como nunca o fizeram.

Rafael Andrade-Setúbal