Everything Changes

É isso. Uma coisa de cada vez. Sangue nas veias, sorriso no rosto e uma brisa que acalma sem acalmar. Porque sabe quando você tá tão feliz que chega a ficar tipo quase triste só por saber que aquilo, como tudo, vai passar? Como quando, você nua em cima de mim na cama de um hotel barato, me beijava e me chupava com a vontade de quem, mesmo que sugasse toda água do meu corpo, jamais mataria a sede de mim. E aí seu celular nos alertava com aquele reggae político que geral só ouvia pra pensar no próprio umbigo, Everything Changes. Tudo muda, ele dizia. Eu só queria que não mudasse nada. Eu só queria que nada mudasse.

Até que eu quis.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.