Lispoetas 2012–2015

´Lispoetas´ photo exhibition in the Camões Centre in Prague

Outro lado da Graça. Limpar os dentes de manha nunca será tão bom.
Ilha do Pico. Ficar crescido.
Gafanha de Nazaré. Preface ao bacalhau.
Monsaraz. O que estão a ver não é verdade.
Lisboa. A famosa calçada.
Sortelha. Só pedra.
Miranda do Douro. Uma mulher.
Soajo. A broa abençoada.
Gerês. De boleia.
Soajo. Espigueiros.
Lisboa. Saber adaptar-se.
Fatima. A Fatima vai-se embora.
Ilha do Sal, Cabo Verde. Ensina-me.
Lisboa, Centro Cultural de Belem. O Diogo fugiu.
Lisboa, Sant´Ana. Quando escolhemos a casa o que escolhemos são os vizinhos.
Grijó de Gafanhão. O Farrusco.
Lisboa, Centro Cultural de Belem. Pregueira arabe.
Lisboa, Av.Almirante Reis. O Manuel está vivo.
Lisboa, Costa do Castelo. O olhar da Katarina.
Vila Viçosa. Gênesis dum castelo.
O céu alentejano.
Lisboa, Cristo Rei. Meu amor na tua mão.
Nevoeiro perdido dentro das folhas.
Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga. Uma menina voadora.
Lisboa, Sant´Ana. Um dialogo.
Lisboa, Cristo Rei.
Lisboa, Parque Florestal de Monsanto. O desamor.
Lisboa, Mouraria. Todas as portas se abrem.
Lisboa, Parque Florestal de Monsanto. Escrever Lisboa.
Sesimbra. Os fofos.
Lisboa, Intendente. Algumas pessoas são como portas fechadas.
Óbidos. O essencial.
Caldas da Rainha. A minha primeira mulher portuguesa.
Peniche. A vida dum estudante.
Nazaré. Um gato da calçada.
Figueira da Foz. Praia stoica.
Lisboa, Intendente. As colonias.
Será a minha vida?
Lisboa, Jardim da Estrela. Espelho demorado.
Viseu. Ser consistente nas decisões.
Porto.
Viana do Castelo. À espera do bolo de Berlim.
Lisboa, Martim Moniz. Infância.
Lisboa, Portas do Sol. Roubando vistas.
Viana do Castelo, Estação de Comboios. Caracóis.
Nas brandas. Uma das minhas mulheres.
Gerês, Calcedonia.
Douro. A vindima.
Lisboa. A drama.
Lisboa, estação de Intendente. Cuidado ao intervalo entre o cais e o comboio.
Lisboa. Tão bem caiu a tinta.
Chaves. Uma avó cigana.
Chaves. Festa do gado.
Mirando do Douro. Uma amiga que nunca tive.
Serra da Estrela. Tristeza mágica
Lisboa. Elétrico 28.

Lisboa, elétrico 28.

Basílica da Estrela. O trabalhador dependente.
Santarém. Mas o gato não morreu.
Lisboa, Intendente. Instrução sobre como encontrar as portas abertas.
Lisboa, Anjos. Origami prohibido.
Lisboa, Praça do Comercio. Amigas delas.
Mertola. Templo da religião universal.
Alentejo. Caminhos para o céu.
Alentejo. As cores da equipa.
Ilha de São Miguel, Ponta da Ferraria. Aquecimento central.
Elvas. O poder de uma vez.
Costa Alentejana. Gota.
Lisboa. 5 vezes 5.
Minas de São Domingo. Nuvens.
Saias.
Alentejo. Ao fim.
Ilha de São Jorge. A mulher do pescador.
Ilha de São Jorge. Pescadores.
Ilha de São Jorge. Leite.
Lisboa, Feira da Ladra. Os singles.
Costa Alentejana.
Costa Alentejana.
Aldeias de Xisto. Geografias do corpo dela.
Lisboa. Só vejo triângulos.
Lisboa, estação de Intendente. Aplastamento das gotas.
Gafanha de Nazaré. Entre peixes e rodas.
Gafanha de Nazaré. Delivery Service.
Gafnaha de Nazaré. Ainda deste lado.
Gafanha de Nazaré. Não há cordas num navio.
Beira Litoral, algures. A noite nunca foi tão tangível.
Lisboa, olhando para acima. Lingerie.
Vila Real. O ganda amigo Zé.
Prague. Instalação da exposição Lispoetas.
Porto. Natal feito à mão.