Literacura #12 — Artemis

Deusa da Lua e da Caça, Artemis também empresta seu nome ao mais infame jovem lorde do crime. Contemporâneo de Harry Potter, é fácil entender porque Artemis Fowl ficou escondido à sombra do colosso construído por J.K. Rowling. Embora similares em determinados aspectos— livros de fantasia sobre garotos envolvidos com magia e na mesma faixa-etária — a superficialidade desta semelhança é nítida. De um lado, temos uma batalha épica contra o bem e o mal, onde o amor e a amizade triunfa.

Do outro lado, temos Artemis Fowl. Um anti-herói carismático e inteligente, com um viés maquiavélico e determinado a ajudar sua família em ruína.

Diferente do arquetípico anti-herói, que fazem a coisa certa pelos motivos errados, Artemis faz a coisa errada pelo motivo certo. Em sua aventura introdutória, ele pode ser considerado o vilão. Simpático, motivado e facil de se relacionar, mas ainda assim o vilão.

Quinto livro da série, ‘A Colônia Perdida’

E é por este motivo que Artemis Fowl é a recomendação da Literacura desta semana. São raros os livros, ainda mais as séries, que transformam os personagens de maneira tão credível quanto Eoin Colfer faz com Artemis. De jovem criminoso, bem intencionado mas de péssimo conjunto moral, podemos acompanhar o crescimento de Artemis, e o seu relacionamento com o povo das fadas, à herói altruísta.

Os livros não são perfeitos, porém. Algumas escolhas são frustrantes — afinal, como um garotinho de 12 anos poderia fazer tudo isso? Ser mais inteligente que as mentes mais brilhantes de dois mundos? — mas, como um todo, é uma história espetacular. Por incrível que pareça, é preciso um pouco mais de suspensão voluntária de descrença do que o esperado.

Obras similares: Harry Potter, Percy Jackson

Like what you read? Give Victor Oliveira a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.