De desejo

O desespero da falta me guiava às vontades, viciada em delírios, presa em prazeres, com apego aos devaneios, ansiando o esquecimento. Magnetizada pelo seu respirar, me peguei admirando a escuridão de seus olhos embriagados, tentando atravessá-los com o simples sentir, induzindo, me deixando possuir com o penetrar da descoberta do fim de toda a minha procura. Talvez assim, eu poderia descansar, me deixar destruir, em meio ao gozo dos meus excessos que sedentava o mais longo de seus beijos.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Pâmella Borges’s story.