TONGAL, UM NOVO CAMINHO PARA FAZER PUBLICIDADE

Por muito tempo o único modo de se fazer publicidade era por meio das agências. Se você já assistiu a série de televisão Mad Men (maravilhosa) provavelmente tem uma ideia de como esses lugares funcionam. Podemos dizer que a típica agência de publicidade é dividida em quatro principais setores: atendimento, criação, mídia e produção.

Começamos pelo atendimento, que é o responsável por intermediar a relação entre a empresa anunciante e os outros profissionais que tornarão o desejo do cliente em realidade. Além de ser a conexão com o cliente, o atendimento também é responsável por transmitir todas as informações necessárias sobre a marca e seus objetivos para a agência por meio do briefing.

Então entramos na parte da criação, momento em que os criativos — redatores e diretores de arte, principalmente — depois de receber o briefing do atendimento, começam um processo chamado brainstorming, em que vão expor todas as suas ideias. É nesse momento que o conceito da campanha vai ser formado. A abordagem que será usada para fazer a campanha criará um conceito visual para aquele texto, e será desenvolvido pelo diretor de arte, junto ao redator.

Depois que as ideias foram filtradas e finalizadas, é a vez dos profissionais de mídia entrarem em ação. São eles os especialistas que estão sempre atualizados nas pesquisas acerca do público consumidor e seus hábitos. Por isso são os profissionais mais indicados para selecionarem os veículos de comunicação mais apropriados, horários e canais da campanha proposta.

E por fim temos a produção, que se encarrega de transformar as ideias do departamento de criação em realidade, tendo como base os veículos de comunicação que foram selecionados. Podem ser eles: mídias sociais tradicionais como rádio, jornal, televisão e outdoor ou novas mídias, como Facebook, Twitter, Instagram.

Esse conceito de agência tradicional é o que predomina hoje no mercado. Entretanto, seria uma grande surpresa se uma área tão atualizada e moderna como a comunicação não migrasse para um dos meios com maior potencial de crescimento nos dias atuais: a internet.

As tecnologias de informação e comunicação vêm sendo utilizadas cada vez mais em diferentes mercados. O setores de alimentação e de transporte, por exemplo, encontraram formas criativas de se integrar a esse novo mundo. Ao fazer a transição para esse novo espaço o caminho mais seguido foi criação de plataformas online.

Sejam aplicativos como o Uber — que fornece transporte de forma mais barata e simples — ou o iFood, que permite que você faça pedidos online de qualquer restaurante próximo de você, tudo de graça.

Outro exemplo é o site NaNoWriMo ou National Novel Writing Month — Mês Nacional de Escrever um Livro, em Inglês — que incentiva escritores amadores a escrever um livro em apenas um mês e o divulgar no site.

É cada vez mais comum setores tradicionais e, de certo modo saturados, trilharem um caminho nesse novo mundo digital. Nesse contexto nasceu a plataforma Tongal.

Sem a necessidade de uma agência para fazer o intermédio entre o cliente e o criativo, a plataforma Tongal dá oportunidade a pessoas que talvez nunca teriam chances de trabalhar com empresas grandes. Agora todos tem a possibilidade de colocar em seu currículo campanhas de grande renome.

Não importa se você é um publicitário formado ou apenas alguém que se interessa por esse mundo, tudo que você precisa para participar são boas ideias e iniciativa! A inscrição é feita a partir de poucos passos e o site possibilita que as empresas publiquem quais são os objetivos para determinada campanha, a verba para o projeto e todos o detalhes necessários para sua execução.

A partir disso, qualquer criativo pode enviar suas ideias e trabalhos. Esse momento do projeto é dividido em três partes. Começamos com a Ideia, que deve ser apresentada — obrigatoriamente — com um título e deve ser desenvolvida com no máximo 140 caracteres.

Caso sua ideia seja escolhida temos a fase do Pitch, onde você vai defendê-la mostrando quais oportunidades ela vai oferecer, os mercados que irá atuar, as soluções para as necessidades do cliente, quais são seus diferenciais, entre outros pontos.

Na fase final do projeto é o Vídeo. Nesse último momento a ideia que foi aprovada, vai ser posta em prática, podendo ser produzida pela pessoa que submeteu a ideia ou um outro integrante do site pode ser escolhido para essa tarefa.

Pontos importantes a serem ressaltados são que todas as fases do projeto tem um tempo limite para ser executado, além de serem remuneradas, ou seja, todos que ajudaram com o projeto vão receber pela contribuição.

Mas não se engane se você acha que Tongal é limitado a produzir apenas peças publicitárias. O projeto se estende também para o mundo do branding das empresas, chegando até ao entretenimento, com vídeo clipes para bandas e short filmes.

E acredite se quiser, mas não são apenas empresas pequenas que procuram os servições do site! Podemos citar nomes de empresas grandes como Microsft e HP, que já utilizaram a plataforma para a criação de seu conteúdo digital.

Existem dois projetos em aberto no momento em que escrevemos esse texto, que merecem ser citados.

Um projeto da Listerine, também em parceria com o site, é de documentar a rotina de quatro pessoas no Reino Unido e no Brasil. O objetivo desses vídeos é mostrar como Listerine ajuda essas pessoas a viver de forma mais ousada, ultrapassando seus limites com os desafios do dia a dia.

E uma parceria muito interessante entre a Tongal e o canal de televisão OWN, fundado pela ex apresentadora do talk show The Oprah Winfrey Show. Nesse projeto as pessoas poderão compartilhar histórias que foram de grande importância para suas vidas e como essas histórias as moldaram como são.

São criações como essas que tornam teorias, como a da Cauda Longa, visíveis. Para as pessoas que nunca ouviram falar de Cauda Longa, nós explicamos: é uma teoria desenvolvida por Chris Anderson, que explica a influência da internet e de algumas tecnologias no mercado e o modo de consumo das pessoas.

De acordo com Anderson, antes da democratização da internet, as pessoas se viam obrigadas a consumir aquilo que ele chama de hits (como as músicas escutadas nas rádios). A falta de diversidade nas lojas e a preferência que a mídia dava a determinados produtos — os hits — são alguns dos fatores que geravam essa limitação.

O pouco espaço disponível nos veículos de comunicação fortalece uma economia baseada em hits, o que reforça o aspecto restritivo das mídias tradicionais. Em programas de televisão como o Domingão do Faustão, por exemplo, apenas atrações que apelam para um público mainstream são convidados a participar, como o cantor sertanejo Luan Santana, que traz uma grande audiência e assim, aumentando as receitas com vendas e publicidade.

Com a criação da internet e os avanços na tecnologia em geral, essas limitações foram sendo superadas aos poucos. Esse fenômeno ocorreu principalmente pela democratização de instrumentos de produção como câmeras, computadores, entre outros.

Uma banda de garagem, por exemplo, com a introdução dessas ferramentas de produção na sociedade, tem a possibilidade de gravar um CD em sua casa, sem gastar uma quantidade absurda de dinheiro com o aluguel de um estúdio. Além da simplicidade que é disponibilizar esse material online, através de sites como YouTube e iTunes. Sendo que dentro desses veículos de divulgação existem o que chamamos de filtro, ferramentas que facilitam a busca pelos produtos de seu interesse.

Sabe quando você quer achar aquela banda de heavy metal cristão que você escutou na festa de uma prima sua há dois anos? O filtro vai ser a ferramenta perfeita, sendo ele um blog ou espaço de pesquisa dentro um e-commerce (comércio eletrônico), para especificar as informações que você procura e tornar sua busca mais rápida.

Essa dispersão da produção tornou o consumo mais democrático e barato, já que o consumidor pode escolher exatamente aquilo que deseja. Isso sem precisar de lojas e outros intermediários limitando suas opções de produtos. Os modos de obter essa mercadoria são diretos, como a compra online.

E como se pode ver, essa teoria se aplica perfeitamente ao fenômeno das plataformas online como o Tongal. O acesso facilitado às tecnologias permite que pessoas, que nem sempre são especializas no assunto, produzam conteúdo sem as limitações tradicionais de uma agência de publicidade.

Assim, é nítido o quanto Tongal torna bem mais fácil a vida daqueles que estão entrando no mercado publicitário ou até mesmo dos estudantes, fornecendo uma chance de atuar com grandes marcas no currículo.

E ressaltando a liberdade que essa ferramente proporciona, permitindo que mentes criativas de todo o mundo possam colaborar em um mesmo projeto. E isso tudo sem as amarras geradas por intermediários, permitindo a comunicação direta entre o cliente e aqueles que vão tornar seu sonho realidade.

Porém, fatores como a falta de planejamento ou o pouco conhecimento do público-alvo podem se tornar um problema na execução da campanha. Esse problema pode ser gerado pelo pouco conhecimento adquirido ao se iniciar um projeto.

Outra causador de problema é que nem todos que participam do site são capacitados para executar tais atividades, sendo — na maioria das vezes — amadores. Esse é um grande risco, já que uma pequena campanha publicitária é capaz de alterar completamente a vida de uma empresa.

Entretanto, é impossível não se encantar por algo que incorpora uma ideologia de liberdade e criatividade como acontece com Tongal e tantas outras plataformas online. E tenham certeza de que ainda vamos ouvir muito sobre essa nova modalidade de fazer negócio.

Post original

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.