amAVA

O sorriso que eu aturava,

O abraço que eu tanto gostava,

A forma de falar que me irritava,

A arrogância que me salvava.

A distancia que me acorrentava,

A saudade que me matava,

A pessoa que eu tanto amava,

O toque que sempre existia,

Os beijos que eu tanto queria.

Passe os dias, as noites ou anos,

Passe por nos uma vida cheia de planos,

Passe um segundo ou uma vida,

Ainda vou desejar uma passagem sempre de ida.

Não construa muros,

Não construa portões,

Por que eu arrebentaria todas as suas amarras,

E o todas suas limitações.

Tudo que se quebra, se concerta,

Tudo que cai, levanta

Toda partida, uma volta.

Volta.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.