Viaje no sabor: os terroirs da Estrada Real

Ao longo do percurso, o turista experimenta muitas receitas exclusivas

A palavra francesa “terroir” não tem tradução para o português e para nenhuma outra língua. Logo, não conseguimos escapar de fazer aquele biquinho na hora de falar. Seu significado compreende o conjunto de clima, relevo, altitude e solo de uma região produtora de determinado alimento ou bebida. Esse conjunto, que é único, influencia bastante o produto final, que se torna, também, único.

Por toda a Estrada Real, em todos os Caminhos, há diversos produtos ou receitas exclusivos, feitos artesanalmente e com ingredientes regionais. São os terroirs da Estrada Real. E, para ajudar o viajante a se achar em meio a todos esses sabores, o Instituto Estrada Real está mapeando todas essas riquezas!

Itabirito, Serro, Paraty e Ouro Preto se destacam pela produção de cachaça. As tradições locais emprestam um sabor todo especial à água-ardente dessas cidades e certamente valem a visita. Já os licores são a estrela de Sabará e o vinho de Jabuticaba de Caeté e Catas Altas já ficou famoso. Já a cerveja artesanal reina soberana em Nova Lima, Santana dos Montes e Petrópolis.

Curte um bom café? Então inclua no roteiro as regiões de Carmo de Minas e Cristina. Para acompanhar, busque um dos muitos doces incríveis de Caxambu, São Lourenço ou São Bartolomeu. O rocambole de Lagoa Dourada também cai muito bem, assim como os biscoitos de Tiago. Aliás, qualquer delícia vinda das quitandas de Diamantina, Santa Bárbara, Morro do Pilar e Serro vão combinar com um café fresquinho.
 
Falando em Serro, saiba que de lá vem um queijo famoso, que só existe lá: o Queijo do Serro. O Queijo do Reino, produzido artesanalmente em Santos Dummont, também tem muitos fãs na gastronomia mundial. O mesmo pode ser dito sobre o Queijo da Caverna, de Caeté, que tem uma origem muito interessante.

Para terminar a viagem nos sabores e aromas da Estrada Real, o viajante gourmand precisa experimentar três quitutes que só existem aqui. São eles: o Frango ao Molho Pardo de Diamantina, o Fubá Suado de Conceição do Mato Dentro e o Pastel de Angu de Itabirito. 
 
 Deu água na boca, né? Saiba mais sobre a Estrada Real e suas muitas atrações no site do Instituto Estrada Real.