Altruísmo

– Desculpe o atraso. Não pude vir antes, estive ocupado. Salvando um suicida da morte.

– Salvando um suicida da morte?

– Sim. Ele ia se jogar da varanda. Mas consegui demovê-lo da ideia. O convenci que a vida vale a pena. E ele não pulou.

– Até nisso você é chato, heim, Silveira?

– Por quê?

– Deixe os suicidas em paz, porra.

– Por que abandoná-los, se eu posso salvá-los?

– E por que salvá-los se eles querem morrer, caralho? Ou não seriam suicidas. Esse seu altruísmo me irrita.

– Não sei por quê.

– Onde está o livre arbítrio, Silveira? Que gente é essa, como você, que não nos deixa morrer quando queremos?

– Salvei uma vida. Isso não é maravilhoso?

– Essa semana vai ser dura e hoje é apenas terça feira…

Like what you read? Give Lo Campomizzi a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.