Para que (e a quem) serve o atual jornalismo de games brasileiro?
Felipe Pepe
93157

Rapaz, muito bom! Concordo com tudo que você disse e mais um pouco.
Eu trabalho com localização de jogos (EN — PT-BR) e frequentemente cai no meu colo material de marketing ou de divulgação para ser traduzido.
Chega a ser engraçado quando isso acontece, porque no dia seguinte os maiores sites de jogos estrangeiros estão divulgando o material original, mas nenhum site brasileiro sequer linka o tema. Só ver o artigo que saiu umas semanas atrás, pela própria Blizzard, contando a história do desenvolvimento de StarCraft 1. Ele tem uma versão em português, mas nenhum lugar comentou sobre (eu pelo menos não vi nada).
Aliás, o jogo foi anunciado grátis para baixar, ele literalmente roda em PCs de 20 anos atrás, mas não teve nenhum “nerd” grande da internet divulgando isso.

Chega a ser engraçado, porque cada vez mais os developers investem em traduzir jogos para o português (todo ano caio em pelo menos uns 2 jogos AAA, isso sem contar as dezenas de indies), eles chegam a ter um público considerável por conta disso, mas raramente os “jornalistas” citam coisas fora da esfera de gosto/influência deles. Eu e meus colegas de profissão vivemos tendo que caçar feedback em sites pequenos, porque raramente os grandes comentam alguma coisa.
Só ver aí o caso do Stardew Valley ou Shovel Knight, que tiveram imenso sucesso e receberam tradução pt-br relativamente rápido (considerando serem indies e tudo mais), mas que são desconhecidos por grande parte do público brasileiro (exceto a galera metida a falar que curte coisa “retrô”).
Ou pior ainda: Euro Truck Simulator 2, jogo que possui uma comunidade ativa de brasileiros e amplo suporte a mods (incluindo um com estradas brasileiras), mas que é “invisível” para quem não acompanha blogs “undergrounds”.

A lista de exemplos vai longe, e é uma situação bem lamentável não ter ninguém falando disso.