3 desejos

oi! — disse o gênio, sendo acordado após muito tempo.

olá! quem é você? — falou o inocente garoto que encontrou a lâmpada mágica, sem saber do que se tratava.

eu sou um gênio — disse o gênio.

e o que você faz? — disse o garoto, curioso.

eu realizo desejos. você tem direito a três — falou o gênio, tentando localizar o garoto na situação mágica e fantástica em que ele se encontrava.

— sério? eu posso pedir três desejos e eles vão se realizar?

— sim. você pode. mas pense bem antes de pedir. e, claro, não me venha com as artimanhas que as pessoas normais pensam que podem usar: você não pode pedir como desejo mais desejos, você não pode pedir algo que vá de encontro às leis que nós, os gênios, costumamos considerar. são desejos dos simples aos mais surreais, mas lembre-se: você não pode usar da má-fé nem de prováveis furos nessas leis.

— ok.

e assim, em silêncio, o garoto pensou.

— está pronto pra pedir o que você quer?

— hum… não sei. talvez.

— olha, o tempo voa. e com ele, os desejos expiram. pense logo, mas pense com sabedoria.

percebendo a seriedade do processo, o garoto pensou mais um pouco.

— tá certo. lá vai o primeiro desejo: eu quero ser notável e bonito.

— seu pedido é muito amplo, então vou te conceder algo que considero como percepção e beleza.

e assim, o garoto que antes era um garoto como todos outros garotos se transformou numa grande paisagem, um por do sol, pra ser mais exato.

— estás satisfeito?

— acho que não. as pessoa veem o por do sol e logo se distraem com outras coisas. eu gostaria de ser humano ainda, ser algo tão abstrato não me cabe.

— tudo bem. está concedido.

e assim, o garoto volta a ser o garoto que sempre foi. parecido como todos os outros garotos.

— agora te resta um último pedido

o garoto pensou, pensou, pensou. percebeu que tinha perdido dois desejos tão frivolamente… tudo aconteceu tão rápido que ele não sabia o que desejar, o que almejar. e, de súbito, ele pediu:

— quero nunca ser machucado.

e o gênio concedeu o seu pedido.

desde então, o garoto ficou só.