O turbante mágico de Eliane Brum
Guilherme Assis
31248

Não curti. O que era pra ser uma análise da carta, no meio do texto, acabou virando um questionamento de legitimidade num assunto onde o autor não se vê como parcela, a não ser como crítico (o mito do autor que se vê sozinho no mundo, sem conexão a nada). Até mesmo o que ele diz sobre Brum, de expor apenas seus medos e fantasmas na carta, vi o mesmo caso no autor do texto. O desfecho do texto é maravilhoso, mas sem muita conexão com a crítica.