medoamor.


O melhor de nós

é o que não se está dito.

A alma verbaliza por fluídos,

ares incorruptíveis e

toques insolúveis:

verdade.

Nossa. Só nossa.

E se não está explícito,

que fique.

- nos teus olhos por trás de tuas lentes suadas.

Tuas mãos que encostam nas minhas

me contam que existe vergonha no peito,

porém, puro amor-verdade no teu órgão vital.

E meu riso tornou-se teu

no encontro dos nossos lábios tão suaves.

E existe paz.

Não vista a olho nu.

Mas sentida pela ingênua pele

que grita e reverbera

a palavra de quatro letras.

Do contrário, a chama inexorável

a gente sente.

E por ela,

só por ela,

a palavra de quatro letras muda.

Se torna outra.

Assim como nós.


21agosto2016