Carta aberta aos filhos.

Preciso muito que você preste atenção nesses passos básicos de como aceitar teu pai do jeito que ele é, o primeiro passo é, não o aceite.

Eu ouvi incontáveis pessoas falando que familia é algo precioso e sagrado, que familia é algo que você tem que aguentar, sem importar o quanto você não se encaixe, ou como ela te faz sentir mal por ser quem você é, ou sem importar que ela não te aceita, porque ela tem teu sangue.

Hector Salamanca, tio do Tuco em Breaking Bad. “La familia es todo”. Praticamente a pior mentira já contada pelo ser humano.

Eu passei meus vinte e quatro aninhos tentando ver além das mentiras que meu pai contava pra mim e minha mãe, toda vez que eu pensava “Porra, meu pai me enganou de novo, ele afinal de contas não é uma pessoa boa” eu abanava esse pensamento como quem enxota uma mosca de perto da comida, rapidamente eu me repreendia, repetia pra mim mesma ele era meu pai.

Não tô tentando falar pra você que eu abaixava a cabeça e aceitava tudo o que meu pai dizia quando confrontado e desmascarado, não me lembro de nenhuma briga nossa onde eu não ofendi, instiguei, intimidei ou desafiei meu pai, além do quem-fala-mais-alto, nossas brigas eram cheias de argumentos, um mais pesado que o outro, me lembro de uma vez, aos 16 anos, ter sido empurrada por ele, caí no sofá e rolei pro chão, dessa vez, tinha chamado ele de lixo.

Uma vez, há uns três anos, mais ou menos umas 5 horas antes da gente ter nossa janta de natal em familia, ele se deu conta que eu tinha dormido com um cara, que não era meu namorado nem nada, e me disse que eu era uma puta que não se dava o respeito, ficamos uns bons meses sem nos falarmos.

Esse post é só um desabafo, eu sofri violencia verbal do meu pai a vida inteira e nunca aceitei isso de cabeça baixa, mesmo hoje, com ele vindo me visitar uma vez cada dois meses, me vi passando a mão na cara de nervoso quando ele me disse

“Você tá louca Mariam? Colocar o lixo pra fora 11 horas da noite morando sozinha? Você tá mesmo louca”

Eu não acho fofo ele se preocupar por mim, eu não acho fofo. Eu acho é um puta machismo ele me chamar de louca por tirar o lixo tarde da noite.

Tenho tanta mágoa dele e o mais triste, tanta pena. Já me vi falando pra uns amigos que acho que ele infelizmente tá ficando gagá, mas não, ele tá ficando cada dia mais obsessivo pelas próprias mentiras, ele conta um fato mais ou menos verídico e quando você se dá conta, ele está contando o mesmo fato, mas com mais uns detalhes que não contou da primeira vez, me pergunto se ele guarda todas as versões das histórias.

Ele consegue contar mais mentiras numa hora do que o Eminem consegue falar de palavras em Rap God.

Tô tentando contar isso com o máximo de leveza possível, pra você se dar conta que existem pessoas a tua volta desse mesmo jeito. Pessoas tóxicas são muito perigosas, meu pai é uma delas.

Esses tempos ele me perguntou o que eu queria de aniversário, respondi pra ele que não precisava de nada, mas a minha vontade era de falar que precisava da minha adolescência e infância de volta, que precisava que ele pagasse minha terapia, que precisava que ele se desculpasse com as pessoas à minha volta, que não é minha culpa que eu não consigo confiar nelas e sim culpa dele.

Preciso que você entenda que eu sei que meu pai não é um monstro, que eu sei que existem pais piores, e que podia ser pior se eu não tivesse um pai, mas isso não justifica ele ser o ser humano que ele é. Ele nunca vai conseguir me pagar tudo o que ele me tirou.

Meu pai aos 27 anos estudava em outra cidade, enquanto ele era noivo de uma mulher, conheceu minha mãe, com quem teve uma filha.

Meu pai disse pra minha mãe que era filho do ex presidente do país vizinho e que a mãe dele tinha morrido num acidente de helicóptero, meu pai conseguiu manter essa mentira até o dia que minha mãe conheceu minha avó, mãe dele.

Meu pai, que sempre traiu minha mãe, com prostitutas, com casinhos, com várias mulheres, o dia que minha mãe cansou, mandou ele embora de casa. Isso faz dois anos, ontem eu descobri que ele diz pra todo mundo que ele saiu de casa porque já não aguentava os amantes da minha mãe.

Meu pai, toda vez que me visita, tá num ramo diferente de negócios, ele nunca realmente consegue explicar o que ele faz profissionalmente. Isso me lembra muito o Barney.

A primeira vez que meus pais se separaram, minha mãe foi morar com a familia do irmão dela, minha mãe atendia aos eventos da familia deles e me lembro do meu primo postar uma foto de umas pessoas, ele e minha mãe, meu pai me disse que tava muito triste porque minha mãe tava namorando um médico, eu consolei meu pai. Quando minha mãe e ele reataram, descobri que o cara ~médico namorado da minha mãe, era, na verdade, o professor gay de artes do meu primo.

Quando eu era criança, toda vez que meu pai chegava tarde em casa, ele me pegava no colo ou brincava comigo, quase sempre dizia pra eu fazer minha mãe sorrir pra ele, ela sempre estava brava com ele, eu tinha raiva da minha mãe, “Por que ela precisa ser tão chata com ele? Por que ela nunca sorri quando ele chega?” aos 10 anos descobri que ela não sorria porque ele chegava tarde, com cheiro de maconha e definitivamente porque ele tava com outras mulheres.

Toda vez que eu tento entender meu pai, tudo o que eu vejo na minha frente é minha mãe na cozinha, desde criança eu não entendia porque é que ele não podia fazer o almoço ou a janta, isso não entrava na minha cabeça, graças ao feminismo enraizado inconscientemente pela minha revolta de pessoa inferior inconformada, isso não entra até hoje.

Meu pai não me deve dinheiro e nem preciso das desculpas dele, ele me deve uns anos de vida, me deve cremes antiidade e uns packs de lucky strike.

Like what you read? Give merian a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.