Transporte rodoviário na importação - É tudo a mesma coisa?

Após um longo tempo de espera entre, pedido ao fornecedor, trânsito da mercadoria e liberação junto á Receita federal, nossa carga finalmente está desembaraçada. Pronto, só preciso contratar uma transportadora que me ofereça o menor valor, e receber a minha mercadoria, certo? Muito cuidado com isso!

Assim como todas as etapas de uma operação, o transporte rodoviário também merece sua devida atenção, afinal, é por meio dele que você irá receber o seu produto, o qual investiu o seu riquíssimo capital.

Atualmente no Brasil, segundo dados da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), existem mais de 189 mil transportadoras cadastradas, e uma frota total de mais de 2 milhões de veículos disponíveis para operação, incluindo os autônomos e cooperativas. Apenas para fins de curiosidade, na cidade de Santos/SP, região que abriga o maior porto da América Latina, temos 9001 empresas cadastradas como transportadora de cargas.

Pode parecer clichê, mas aquela conhecida frase “O barato pode sair caro.”, pode vir á tona, caso você analise apenas o preço na hora de contratar os serviços de transporte de qualquer empresa.

Alguns fatores devem ser analisados no momento em que vamos contratar uma transportadora;

  • Consultar se a empresa está ativa junto a ANTT. — clique aqui para consultar.
  • Verificar a cobertura da apólice de seguro da empresa.
  • A empresa emite conhecimento rodoviário de cargas (CT-e) ?
  • Os motoristas estão credenciados para acessar a região portuária?

Estes fatores são importantes, pois podem gerar uma bela dor de cabeça em caso de sinistro, roubo, e até no momento de retirar a mercadoria no armazém alfândegado.

Quais os possiveis problemas que podemos enfrentar contratando uma empresa no escuro?

  • Sinistro ou roubo: O não ressarcimento do valor total da mercadoria caso a empresa não esteja devidamente segurada, incluindo perda dos valores pagos em impostos e custos operacionais. Caso a carga seja transportada em contêiner, o importador assume também o custo do mesmo junto ao armador.
  • Fiscalização: Veículos que não correspondam aos padrões mínimos de conservação, que não estejam portando os documentos obrigatórios, podem ser apreendidos em postos de fiscalização, e consequentemente as mercadorias transportadas.
  • Irresponsabilidade operacional: Tenho visto muitas estórias de empresas oferecendo fretes abaixo dos praticados no mercado, contando com a isenção dos custos de pedágio. Sim, eles violam as praças de pedágio carregados com sua mercadoria, colocando a vida de outras pessoas em risco, e todo o seu seu capital investido.

Qualidades de uma empresa qualificada para transportar a sua carga;

  • Veículos revisados constantemente, garantindo a segurança no transporte de cargas.
  • Veículos rastreados e com gerenciamento de risco.
  • Motoristas com qualificação profissional.
  • Atualização constante da posição da carga junto ao cliente.
  • Apólices de seguro com cobertura adequada á mercadoria transportada.

Faça cotações com ao menos 3 empresas, compare os preços, identifique os diferenciais de cada uma, principalmente o atendimento e capacitação profissional. Desconfie de valores muito distintos entre sí. Analise o preço total do serviço e as entrelinhas, existem muitas pegadinhas em propostas comerciais.

Uma última dica, sempre forneça dados completos e corretos para as solicitações de cotação, facilitando assim a identificação do tipo de equipamento a ser utilizado, dando condições ao profissional, de oferecer o melhor serviço possível dentro das suas necessidades.

Dados importantes a serem fornecidos para uma cotação;

  • Descrição do produto.
  • Peso bruto total.
  • Volume total.
  • Tipo de embalagem.
  • Características específicas da carga, exemplo, carga perigosa, produto frágil.
  • Valor de nota fiscal.
  • Origem e destino exatos.

Caso deseje saber mais sobre o assunto, entre em contato via Skype (adm.implog) ou E-mail (adm.implog@gmail.com).

Obrigado e até a próxima!