É difícil entender como alguém como eu tem fé. Sou muito analítico, preciso de dados, informações e isso me força a não arriscar muito, procurar coisas concretas, certas, etc.

Em toda minha vida vejo o sobrenatural me cercando, mas nunca me senti mergulhado nele.

Tive e tenho inúmeros momentos que precisei da ajuda de Deus, em todos fui ouvido, acolhido e cuidado. Nem sempre como eu desejava, mas sempre como era necessário.

Na última quinta fiz um pedido a Deus, sabendo o quanto era absurdo e incabível, mas eu o fiz. Crendo na misericórdia dEle e confiando no seu amor. Preciso dessa resposta até amanhã.

Hoje eu toquei na igreja, há muito tempo não me emocionava durante este momento. Enquanto cantávamos: “porque Ele vive, posso crer no amanhã”, “quem nos separará do amor de Cristo?”, “A Ele a Glória, pra sempre amém”, me lembrei aconteça o que acontecer, eu consiga a ajuda de Deus amanhã ou não, minha vida está nas mãos dEle. E isso é mais importante que qualquer outra coisa.

Há alguns anos conheci uma frase de John Wesley: “O melhor de tudo é que Deus está conosco”. E sim, esta certeza traz paz. Mas os problemas continuam aqui, deitando na cama comigo, acordando comigo, indo pro trabalho, em cada momento da minha vida estão aqui também.

Sofremos muito por ter uma visão limitada da vida. Vivemos oprimidos por um sistema de minutos, horas, dias, semanas, meses, anos… Deus é eterno. Se a esperança que temos for apenas para esta vida…

O amor de Cristo que nos constrange e não pode ser retirado de nós por nenhuma coisa no mundo natural ou sobrenatural, está preparando pra nós um futuro. Cristo está cuidando do nosso mundo, apesar deste estar se destruindo a cada momento.

Nenhuma dificuldade deste mundo é maior que o amor de Cristo por nós. E esse é o clichê mais maravilhoso de escrever.

Amor, graça, fé, esperança e alegria. Que nossas vidas sejam cheias de tudo isso aconteça o que acontecer.

(Enquanto escrevia parte da resposta começou a chegar.)

Like what you read? Give Luiz Fernando Pimentel a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.