Kansas, o lugar perfeito

Malik Newman é um dos que seguiu a receita de sucesso em Kansas. Crédito: Hero Sports.

Não, eu não fui para Kansas no verão americano. Não, eu não fui também no inverno. Mas tenho uma certeza: Kansas é o melhor lugar para jogadores transferidos. Nas últimas duas temporadas, a Universidade de Lawrence tem se tornado porto seguro de muitos jogadores badalados que não conseguiram boas temporadas.

O caso mais chamativo é de Malik Newman. O ala-armador ex-Mississippi State decidiu deixar a Universidade e se aventurar numa missão maior: jogar em Kansas. O jogador já é destaque na equipe e pelos amistosos de pré-temporada na Itália será um dos melhores jogadores do país durante a temporada. Ele teve médias de 19.3 pontos por jogo em cinco jogos no país europeu. Assim como ele, os irmãos K.J e Dedric Lawson deixaram Memphis e viajaram até Lawrence. Charlie Moore, de ótima primeira temporada em California, Sam Cunliffe, calouro que destacou em Arizona State, também seguiram o mesmo destino.

O próximo alvo é Mitchell Robinson. Maior recrutamento de uma universidade mid-major em anos (Robinson havia acertado com Western Kentucky), o pivô decidiu deixar a faculdade após seu padrinho ser demitido do cargo de assistente técnico. Cotado no top-10 da classe do High School deste ano, Mitchell deve ser proibido de jogar a próxima temporada, devido às regras de transferências da NCAA e somente ser elegível em 2018–19, mas nada esconde o fato de Kansas estar na briga por mais um prospecto qualificado.

Bill Self tem a receita quando não se consegue craques do High School: apostar na história de Kansas e convencer jogadores transferidos a viajarem até Lawrence. Talvez até eu dê uma passada lá.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.