UNIVERSO E ETC

você é um segredo do universo. droga, você é a porra de um segredo.
você é uma daquelas coisas que não da para decifrar. ame ou odeie. e eu não sei qual desses sentimentos escolhi.
você entende? desculpe, não quero ter de pedir desculpa, mas desculpe. eu não sou apta para guardar você. esse segredo indecifrável e finito.
eu odeio o gosto amargo e infeliz que você carrega. odeio a raiva e a paixão crescendo e se derramando como lava de vulcão. odeio odeio e odeio. pois é, odeio mesmo. e você continua indecifrável. e insurportavelmente atraente. mas eu não sou de verdade. eu sou uma ideia. uma folha de papel amassada. e você é um segredo. do universo. uma coisa grande. real e palpável, uma incógnita. e eu não mereço a chance de desvenda-lo. bata palmas agora, me sinto triste. pequena, confusa e, sobretudo, triste. 
ame ou odeie.
amei tanto que explodi em ódio. desapareci. não sou real, nunca fui.
e você ainda é um segredo, o meu segredo. 
quero abandona-lo e me desfazer de você de uma vez por todas, cantar sobre você a alguém e deixa-lo escapar nas cordas de um violão. que eu não sei tocar. assim como não sei nada sobre você.
e nem sobre mim.
quero amarra-lo no proximo trem em direção as estrelas. e observa-lo subir. e subir e subir e, enfim, desaparecer. e quando você se tornar mais uma estrela entre tantas, quero rir como louca e tocar a droga do violão que não sei tocar e me derramar e derreter em ódio e alívio e continuar rindo. 
e quando você cair como um meteoro, consumindo a terra em sua desgraça cósmica, vou assistir ao fogo crescente e mortal com os olhos bem abertos para os seus mistérios, desejando ser real e livre.