Quase.

Eu preciso te contar uma coisa: eu quase não cliquei na sua foto. É, eu sei, eu cliquei e até mandei mensagem, mas foi só por causa de uma foto no meio das 5 que você tinha. Desculpa falar isso também, mas você deveria deletar aquela última.

Lembra do dia da Liberdade? Eu lembro que você não parava de sorrir me olhando, eu fiquei vermelha, tentei fazer graça da Dona Margarida, aquela japonesa tão fofa. Não funcionou. Você continuou me olhando como se eu fosse a última gueixa.

Foi nesse dia mesmo que eu pensei em parar de te ver. Eu tava enrolada. Eu não tava ali. Mas você teve algo que fez eu ficar. Eu fiquei pro jogo do Timão, pro hambúrguer e pro ventinho que você ligava toda vez que eu pedia.

Pensando agora, eu sei o que fez eu ficar. Foi aquele seu maldito sorriso. De adolescente que acabou de ganhar a primeira Playboy. De nerd que finalmente levou a gatinha do rolê. Aquele sorriso que só quem encontrou exatamente o que não procurava, tem.

Eu não sabia bem se deveria cancelar aquela viagem. Só que eu cancelei e fui com você. A gente viu o mar, você sorriu de novo e eu ri vendo as suas bochechas vermelhas.

Tem mais uma coisa que eu não te falei: eu fiz de conta que tava dormindo quando você chegou perto do meu ouvido e falou que me adorava. Eu sei, era segredo, mas eu não pude deixar de ouvir.

Depois eu fui e você ficou. Que saudade.

Aí eu decidi voltar um dia antes, desisti, talvez eu devesse ficar para mais um dia de praia. Choveu. Foda-se. Comprei a passagem.

Não existe nada como a saudade. Você tirou aquela foto de mim e não se cansava de olhar.

Que dia lindo. Que mês difícil.

Avisaram que o nosso Natal só ia acontecer mesmo quando janeiro acabasse.

A gente ia voltar pra praia. Pra minha e pra sua. Que vontade da gente no mar de novo.

Depois disso eu pensei até que a gente poderia ir pra outro lugar, ver aquele show que a gente perdeu e, com sorte, conseguir até um Natal em dezembro neste ano.

Eu também tinha salvado umas receitas novas. Tá, eu sei que você gostava mais do carinho do que do sabor, mas eu preciso de uma receita para seguir, você sabe.

A gente ia jantar na mesa nova e colocar a moldura no quadro, lembra?

Eu lembro. Dessa vez foi quase.