EQUILÍBRIO

Muitos temas passaram pela minha cabeça para começar esse médium, mas o que mais representa o que eu quero falar e penso é o Equilíbrio.

Por que? Porque é o que eu quero para a minha vida! Tanto que hoje o meu maior sonho é saber equilibrar uma vida calma, que eu possa aproveitar as pequenas coisas, como um pôr-do-sol, com o desejo de fazer coisas para tornar a nossa comunidade, mais respeitosa e amorosa.

Palavra que veio do latim “aequilibrium”, composta pelo adjetivo “aequus”, igual, e “libra”, balança. Ou seja, o nível igual das balanças.

Nesse tempo de muitas opções, de liberdade de expressão e opiniões, aonde levantar uma bandeira é algo muito valorizado pela comunidade, o meio termo é visto como falta de personalidade. Ou seja, o equilíbrio muitas vezes é associado com o “em cima do muro”, como alguém que não tem opinião, que não sabe o que está falando. Mas será que é mesmo assim?

Eu associo muito o equilíbrio com a sabedoria de vida, como o fluir da água. A água não briga com os obstáculos, elas simplesmente sabe como passar por eles. Ela flui, ela está sempre em movimento, algumas vezes com leveza, outras com uma intensidade para mostrar um pouco do seu poder.

Todas as exigências e expectativas colocadas em nossos ombros faz com que esqueçamos o que é viver, aproveitar a vida. Tudo isso hoje é jogado como uma obrigação, que a vida vai ser prazerosa 24h por dia, 7 dias da semana. Mas não vejo isso como saudável.

Quando eu serei triste para aprender a valorizar as pequenas coisas? Quando faltará a fé para eu aprender a ser esperançosa? Quando a dor irá aparecer para me ensinar a ser grata pelas pequenas coisas?

Por isso eu sou a favor do equilíbrio! Nele aprendemos que cada lado da balança tem a sua importância e a sua influência na vida e que aprendemos com ambas.

Sou a favor de um mundo de mais compreensão do que extremismo. Isso não é parar de buscar um mundo melhor, pelo contrário, é o fazer esse sonho realidade nos pequenos gestos, com a gente mesmo. De aprendermos a falar não para algum evento, porque o seu corpo pediu um descanso. Aprender a ser firme que somos capazes, e que não são palavras pesadas e destruídoras que tiraram isso de nós.

O mais importante disso tudo, que aprendamos a ir e vir na vida! Entrar no fluir da vida, da Terra, do Universo, que nos mostra tantos caminhos, mas que pelas conexões, compromissos, obrigações, ilusões, esquecemos de ouvir.

É o primeiro post, não sei se ele faz muito sentido, mas é o que venho sentindo. Esse é o principal papel dele, me deixar sentir, viajar e escrever!

De brinde uma música que me inspira muito:

Namastê

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luana Freitas’s story.