Descanse em paz

Uma cruz finca o silêncio numa lápide sem nome

Desconhecidos plantam o corpo numa terra de ninguém

O suor finge ser a lágrima do choro que não veio

Nenhuma reza espera do outro lado, amém

Um lugar para cair morto finalmente se consome

A terra vira manto, acolhendo a imensidão

Sem velório, enterro de pobre é todo dia

Viver como se morasse a sete palmos do chão


Seu coração aqui embaixo pode levar o Descanse em paz a incomodar outras pessoas. ❤