quando encontrá-lo, saberei que é ele

Simplesmente Acontece (2014); ele sempre esteve ali.

eu realmente quis que você pudesse juntar todos os meus pedacinhos quebrados

mas você não é ele

eu nos queria deitados e você traçando constelações com as pintinhas das minhas costas

mas você também não é ele

e quero que você goste da minha voz, e dos reflexos vermelhos no meu cabelo

mas você não é ele

eu queria poder olhar nos teus olhos todos os dias

sobretudo, queria que ele pudessem me fazer achar que tudo vai ficar bem

mas você ainda não é ele

porque eu queria que você fosse o tipo de cara que me levaria a escrever um caderno todinho de poesias sobre

mas você não é ele

talvez seja eu

que tenha sido assim, fragmentada, por toda a vida

por isso queria que você notasse as sardinhas no meu rosto

a fenda nos meus dentes

a expressividade nos meus olhos

e a falta de formato da minha boca

e mesmo assim quisesse beijá-la

mas você não era ele

eu queria que você me visse feito mulher e menina

assustada

querendo colo e cafuné

mas também inteligente e independente

e você não era ele

eu estava rezando para que ficássemos juntos

mas nunca daria certo, porque você não é ele

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luana Veiga’s story.