O vietnamita Thái Quang Nghiã, Dono da Goóc Eco Sandal, linha de areia com solado de borracha de pneus reciclados, sua própria trajetória de vida marcada pela superação. Em busca de liberdade fugiu do regime comunista usando um barco de pesca. Era 1979 e ele tinha 20 anos. Depois de passar quatro dias à deriva, foi resgatado em alto mar por um petroleiro da Petrobrás.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais ::: 
:: Twitter :: :: Facebook :: :: Google + ::

Acolhido pelo Brasil, foi naturalizado e publicado em São Paulo. "Eu eu sentia como se fosse cego, surdo e mudo porque não falava português e não sabia onde estava, ou para onde ir". Durante o primeiro ano, Nghiã viveu num abrigo instalado no Glicério, mantido pela Igreja Católica. Ele contém não existia dicionário vietnamita-português, então criou um. "Em um ano, já continha 17 mil verbetes. Depois, cheguei a 25 mil."

Além da dificuldade de comunicação, não tem qualificação, o que aumenta sua dificuldade para arrumar um trabalho. "Obtive capacitação em cursos gratuitos oferecidos pelo Senai e Senac. Assim, consegui trabalho como operador de computador em um banco, e deixei o abrigo."

Em 1983, Nghiã entrou na Universidade de São Paulo (USP), para cursar matemática. "Em 1986 eu continuava sem banco e já emprestado dinheiro para uma amiga, fabricante de bolsas de fundo de quintal." Mas visto o Plano Cruzado e ela quebrou. " Uma forma que é uma amiga encontrada para quitar parte da dívida para repassar para Ele como máquinas e estoque de bolsas. "Fui para bairros da periferia vende como bolsas. Em 15 dias vendi todas."

Com uma experiência, Nghiã percebeu que ganharia mais dinheiro vendendo bolsas do que trabalhando no banco. "Ei o trabalho e comecei uma bolsa de plástico, lona e jeans. Essa foi minha porta de entrada para o mundo dos negócios."

Uma inspiração para criar como sandálias na história do seu país. "Em 2003, fui passar 60 dias no Vietnã e vi imagens de vietcongues, que lutaram contra os americanos na guerra do Vietnã. Notei que são nós usavam botas e sim pneus cortados e amarrados com tiras de borracha, para mim, sim simbolizou e uma resistência e luta. "

De volta ao Brasil, criou a marca Goóc Eco Sandal. Rapidamente, o produto se espalhou pelo mundo, sendo comercializado em vários países da Europa, Estados Unidos e Japão. Não primeiro ano, foram vendidos 700 mil pares. Em 2010, seu faturamento ultrapassou R $ 50 milhões. Mas, em setembro de 2011, uma fábrica situada em Brotas pegou fogo. "Perdi tudo. Desde o estoque de produtos e máquinas, até os clientes, porque não pude cumprir os prazos de entrega."

Era hora de recomeçar novamente e Nghiã decidiu terceirizar uma fabricação, que hoje ocorre na cidade de Franca, não interior de São Paulo. "Passei nossa tecnologia e know-how para eles e ganhei mais tempo para criar modelos, dando mais agilidade a negócios". Atualmente, ele mantém escritório em São Matheus, na zona leste da capital, onde administra como áreas de criação, design, divulgação e comercialização.

"Hoje, 15 meses depois do incêndio, produzimos 120 mil pares por mês e exportamos para a França. Aos poucos estamos recuperando os clientes".

Segundo ele, seu grande sonho é mostrar para o mundo que o Brasil tem tecnologia para transformar pneu em borracha que vira sandália. "Já reciclamos mais de 3 milhões de pneus e podemos incentivar outros países a fazer o mes.

Empreendedorismo e inovação: diferenças e realidades; O termo empreendedor origina-se da palavra-chave empreendedor e tem sido traduzido para o português como empresário

Ocorre que um empreendedor é mais que um empresário.Empreendedor é aquele indivíduo que sabe identificar como oportunidades que aparecem e consegue transformá-em um negócio lucrativo. Toma uma iniciativa, é criativo, inovador, arrojado e estabelecido uma estratégia para o desenvolvimento do futuro. Estabelece metas, inicia projetos, controla resultados, visualiza e busca o sucesso de seu empreendimento.

O empreendedor é, em suma, o que sabe determinar quais e seus produtos ou serviços são colocados e consumidos no mercado (isso é inovação).

São Paulo, São Paulo, Brasil - ATITUDE-PLANEJAMENTO-INOVAÇÃO. Conclui-se, portanto, não é todo empresário e um empreendedor.

Uma função do empreendedor é quebrar paradigmas, trabalhando uma ideia para torná-la um novo produto ou um novo serviço, que se constituir em nova fonte de receita para sua empresa, ou seja, transformando sua ideia em inovação.

O empreendedorismo é o processo dinâmico de criar mais riqueza. Esse processo e inovação.

Na realidade, esse novo produto ou serviço (inovação) é construído por quebra do paradigma anterior e empresário que idade segundo esse princípio é, na verdade, um empreendedor.

Lembre-se que ninguém nasce empreendedor. Isso não é uma herança genética.

Para qualquer empreendedor tornar-se um empreendedor. Basta seguir uma sequência: ATITUDE - PLANEJAMENTO - INOVAÇÃO.

Nesse ponto é um comentário sobre uma preparação que recebe as escolas e não nos favorece muito na hora de empreender.

Eu, você e todas as gerações passadas para educados para nos tornarmos empregados. Não nos prepararam para sermos empreendedores.

Outro aspecto do empreendedorismo e inovação colaborativa.

Poucos empresários a adotam e etiquetados como empreendedores inovadores.

Muitas empresas no cenário mundial estão praticando uma abertura e colaboração intra e extra como fatores críticos para o sucesso na inovação. No entanto, como como empresas brasileiras com relutado em adotar e tirar partido da prática.

Atualmente, inovar em produtos e serviços tem sido o objetivo de qualquer empresa em todo o mundo.

As empresas de maior porte estão criando equipamentos para cuidar da inovação, contratando consultorias especializadas e investimentos em treinamento e capacitação de suas equipes para o gerenciamento da inovação.

Pequenas empresas também estão disponíveis, embora na menor escala de investimento.

Algumas empresas já perceberam que buscam uma inovação apenas sem campo interno (inovação fechada) nem sempre traz bons resultados.

Muitas vezes, melhores resultados são obtidos quando se envolve o ambiente da empresa, ou seja, aquilo que está fora da empresa, mas interfere em sua vida.

No entanto, essas empresas descobriram que há mais eficientes no processo de inovação quando envolvem también os consumidores, proveedores, concorrentes, socios u otros no processo.

Este é o conceito de busca de inovação para uma empresa como inovação colaborativa ou inovação aberta (inovação aberta).

Alguns exemplos são um Nokia e Google. Ambas utilizam em seus laboratórios ou conceito de inovação aberta, buscando como ideias de inovação para os limites da empresa, de forma colaborativa.

Esse conceito de inovação colaborativa ainda é muito pouco aplicado no Brasil, mas pode funcionar muito bem usado de forma racional e objetiva.

Os empresários que querem ser reconhecidos como empreendedores inovadores devem informar os hábitos de uso como as capacidades colaborativas de pessoas que estão no ambiente da empresa, apropriando-se de todas as oportunidades de criação e melhoramentos de seus produtos e serviços. O resultado é um melhor desempenho e maior competência empresarial.

Samuel Klein, o fundador da rede de lojas de departamento Casas Bahia, morreu na manhã desta quinta-feira (20) em São Paulo . Ele estava internado há 15 dias no Hospital Albert Einstein. Samuel Klein completou 91 anos em 15 de novembro.

O empresário deixa os filhos Michael, Eva, Oscar e Saul Klein, além de oito netos e cinco bisnetos.

Polonês naturalizado brasileiro, ele deixou uma Europa durante uma Segunda Guerra Mundial. Primeiro, foi para Bolívia, mas um ano depois chegou ao Brasil, onde depois de uma passagem rápida pelo Rio de Janeiro, instalou-em São Caetano do Sul, não ABC paulista.

Nascido em Lublin em 1923, ele foi o terceiro de nove irmãos. Chegou a ser preso aos 19 anos pelos nazistas e enviado com o pai para o campo de concentração em Maidanek, na Polônia, enquanto uma mãe ou cinco irmãos com exterminados no campo de Treblinka.

Ele relatava que, no campo de trabalhos forçados, sobreviveu graças às habilidades de carpinteiro. Samuel conseguiu fugir durante uma transferência de presos em 1944. Depois, foi para Munique em busca do pai. Após a introdução de artigos para as tropas aliadas, se mudou em 1951 para a América do Sul.

Ao Brasil, chegou em 1952 trazendo uma mulher Ana eo filho Michael, então com dois anos que estão nascidos na Alemanha.

Segundo informações da Casas Bahia, com US $ 6 mil no bolso, Samuel é uma casa e um charrete. Com a ajuda de um conhecido da região do Bom Retiro, reduto dos imigrantes judeus e árabes na década de 1950, uma mesinha de 200 clientes e serviços - cama, mesa e banho. Começou a vender seus produtos de porta em porta. "Quando alguém dizia que não é de pagar, Samuel logo as condições da sua preferência: ficar com o produto e pagar em prestações, tudo sem crediário".

saiba mais

Em cinco anos, Klein na sua loja, no centro de São Caetano do Sul, na Avenida Conde Francisco Matarazzo, 567, e o nome de "Casa Bahia" em homenagem aos imigrantes nordestinos.

Durante a sua trajetória de vida, Samuel Klein de centenas de prêmios e condecorações, segundo a Casas Bahia . Em novembro de 2003, Samuel Klein registrou suas memórias sem livro "Samuel Klein e Casas Bahia - Uma Trajetória de Sucesso".

Negócios
Em 2009 , o Grupo Pão de Açúcar anunciou que já fechou um acordo de fusão como Casas Bahia. Segundo comunicado divulgado ao mercado na ocasião, ou contrato visava a integração dos seus negócios sem setor de varejo e de comércio eletrônico. Com isso, uma associação uniu como operações do Ponto Frio (Globex), das Casas Bahia e do Extra Eletro (Grupo Pão de Açúcar) em uma única e nova sociedade.

De acordo com uma nota, uma empresa resultante da existência, na época, 1.582 lojas, em 337 municípios, incluindo super e hipermercados. As unidades estão em 18 estados e no Distrito Federal. O faturamento anualizado da Companhia em 2008 com Ponto Frio e Casas Bahia foi ao redor de R $ 40 bilhões.

Nenhum site da Via Varejo, fruto da união entre como redes Ponto Frio e Casas Bahia, uma informação atual de uma rede mais nova de 56 mil funcionários e 620 lojas e está presente em 17 estados (SP, RJ, ES, MG, GO, MT, MS, BA, SC, PR, SE, CE, TO, PE, RN, AL e PB) além do Distrito Federal. A marca Casas Bahia foi avaliada em US $ 420 milhões e é considerado a 6ª marca de varejo mais valiosa da América Latina e 2ª do Brasil, segundo ranking "Melhores marcas de varejo", divulgado pela consultoria Interbrand.

Veja frases de Samuel Klein
"Acredito no ser humano. Caso contrário, não abriria como portas das minhas lojas todos os dias. O que ajuda é uma coisa confiável e não tenho próximo. "

"Um bom comerciante só não vai para trás se olhar e seguir semper em frente. E preciso entender o que o outro precisa para viver. Ganhar e deixar ganhar. O sol nasceu para todos. "

"Em nossa vida profissional, não podemos falhar. São justamente nossos erros que estragam nossos acertos. "

"Um mais um é igual a dois. Mas uma soma de uma ideia mais uma ideia não é duas ideias, e sim milhares de ideias. "

"Ontem foi ontem, já passou. Hoje é hoje e é o que nos importa. Amanhã, o futuro, Deus pertence ".

"Que país abençoado esse Brasil. O povo também é pacato e acolhedor. O Brasil é um país que oferece oportunidades para quem quer trabalhar e crescer na vida. Cresci junto com o Brasil. Não é fiquei parado vendo o país crescer. "

"De um bom namoro sai um bom casamento. Da boa conversa, sai um bom negócio. "

"O segredo é comprar bem comprado e vender bem vendido".

"A riqueza do pobre é o nome. O credito é uma ciência humana, não exata. Não importa se o cliente é um faxineiro ou um pedreiro, se ele for bom pagador, um Casas Bahía credito para que resgate a cidadania e realize seus sonhos ".

"Temos que amar o País em que vivemos. Uma frase crise não existe não meu dicionário. Eu sempre comprei por 100 e vendi por 200. "

"Meu lema é confiar. Confiar no freguês, nos fornecedores, nos funcionários, nos amigos e, principalmente, em mim. "
" Eu vivo e deixo os outros viverem ".

Like what you read? Give luan silva a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.