EXTRA! EXTRA! EXTRA!

EXTRA! EXTRA! EXTRA!

o lance foi tão brando,

que saiu no jornal

seguido de expressões como dilacerou,

encontra-se desaparecido,

e sujeito banal.


comentava dona nair:

não me avisaram desse fulano aí não, tô por fora!

seu benedito retrucou:

que absurdo, tomais uma providência.

urgentemente.

agora.


“tu num sabe!”

incrédula demais para acreditar, dona lourdes.

e falando nisso:

cadê seu edgar?


ah, coitado!

trancado em casa com medo do tal assassino

escondido sob cobertas,

cheio de medo,

virou menino.

com a cidade toda em alerta,

porta nenhum ficou aberta

com medo desse aí entrar.


mas és destemido!

entrou e arruaçou não só o de galileu,

mas também o coração do seu joão

e carregava consigo vidro pra dilacerar.

eu logo questionei:

mas que diabos é que tanto faz, e quem é esse, cabra?

me disseram: é o tempo, senhor,

estraçalhou e espalhou o coração da cidade toda pra nunca mais achar.