Elihu Vedder — The Lonely Spring (1875)

A primavera que não viveremos

Sinto saudades de você.
Dos setembros que nunca começamos juntos.
De podar as flores que não plantamos.
Da partida que jamais jogamos.

Sinto saudades de você.
Da viagem que só tivera despedida.
De aquecer os mares que permanecem no inverno.
Dos banhos de sol sem águas amargas.

Sinto saudades de você. 
Do levante que teima ser apatia.
Da reza menosprezada pela descrença.
Dos almoços no jardim que se mantem calçamento.

De tirar seu cachecol que nunca bordei.
Das noites sem ilusões que não são mais claras. 
Saudades não do que vivemos, mas do que deixaremos de viver.
Sinto saudades de você.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.