Quatorze dias. Mil aprendizados.

Há exatos quatorze dias eu “parei” de escrever aqui no blog. É tanto tempo que estou até estranhando escrever estas primeiras palavras, mas nada como voltar junto a um hábito que nos faz bem. Optei por ficar este tempo afastado, com a finalidade de focar minhas ideias na leitura de assuntos específicos, gastando ainda o tempo que destinava a escrever para ligar estes temas. Isso tudo além de organizar as ideias para um congresso que fui participar.

Diria pra vocês que o ser humano possui uma capacidade inexplicável de juntar suas energias, focalizando-as de forma incrível quando quer realizar algo que dependa das mesmas. Nas últimas semanas, como nunca outrora, decidi me focar em orações e na proximidade com Deus.

O resultado? Nunca me senti tão próximo dele. Existem alguns afazeres que perdemos algum tempo nos preparando, de forma excessiva, em aspectos racionais e desprezamos as questões espirituais. O ser humano comete, todos os dias, o erro mental de não acreditar em si mesmo. Alguns exemplos evidenciam isso:

  • Estudar no dia anterior a um vestibular;
  • Refazer exercícios que está cansado de acertar;
  • Treinar balizas instantes antes da prova para a CNH.

Geralmente quando falhamos em aspectos que conhecemos, muitas vezes a falha está no psicológico. Treinar mais não costuma ajudar. Relaxar e trabalhar na harmonia mental, sim.

Este final de semana foi uma total evidência deste aspecto pra mim. Sempre recheado de nervosismo, apreensividade no controle dos tons de voz, gesticulações e medição de palavras, parece que o treino de menos e a energização de mais, fizeram muito bem.

Orar me fez bem, quando acreditei que tantos outros redor deste planeta gigantesco proferiam, junto comigo, as palavras de orações específicas com bons desejos para um mundo bem melhor. Egrégora. Tentar estar concentrado com os demais que trabalharão nas respectivas atividades ao seu lado, de forma que estejam alinhados em seus afazeres conjuntos. Harmonia.

E tudo isso me fez repensar outros aspectos de meu cotidiano. Algumas coisas precisam mudar. Certos aspectos precisam evoluir. O primeiro passo dado foi o do reconhecimento e aprendizado, agora vamos para a execução, na tentativa de crescer mais consigo mesmo, e na esperança, também, de ajudar intensamente aqueles que estão perto de nós. Nunca é tarde para aprender mais. Sempre é tempo de continuar a melhorar.


Se este texto foi, de alguma forma, útil para você, clique no “recommend”, logo abaixo, para indicá-lo a outras pessoas também. O que foi bom para você, com certeza pode ser bom para os demais. Muito obrigado!
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.