Afoguei meu amor com álcool.

Quando o efeito passou, lá estava eu lhe amando outra vez.

Foi escolha minha, quebrei meu próprio coração, e a cada movimento me corto em meus próprios cacos. É triste olhar para lado e ver que se está sozinho, mas meu bem, eu sei que existem pessoas que se importam conosco e não podem estar sempre por perto. E quando estou assim, me sentindo só, meu único e bom companheiro é a bebida. Sei que não preenche meu coração, que é apenas a morte engarrafada em sua fase líquida. Mas hoje quero morrer e acordar amanhã sem lembrar do que aconteceu. Não consigo ser forte o tempo inteiro. Já no começo eu sabia que cedo ou tarde iria me machucar, apenas escolhi por quem eu deveria sentir dor. Saudade dói, e não há farmácia de plantão que resolva. Mas, a cada esquina encontro um bar aberto. Dizem que o tempo cura tudo, então, beberei para que ele passe.