Hoje de manhã eu tava me sentindo muito inseguro. Não sobre toda as coisas, mas porque de uns 3 meses pra cá eu tava me sentindo mais frágil, diariamente. Porque 3 meses atrás eu encontrei um cara no Tinder, descobri que ele tinha me adicionado no Facebook, marquei um encontro, ele veio em casa, eu tive que sair no dia seguinte pra ver ele, ele teve que vir aqui de novo no outro dia. No final de semana, ainda bem que ele voltou dessa viagem, porque já tô com saudade. E saímos de novo. E de novo.

Eu tive vergonha de ir conhecer os amigos dele. Ele teve vergonha de conhecer os meus. Ele me deu um dichavador. Eu dei uma pulseira pra ele. Pedi ele em namoro. Ele disse eu te amo. Eu falei dele pra minha mãe. Ele falou de mim pra mãe dele. A gente brigou porque eu saí sem avisar. A gente brigou porque ele saiu sem avisar. A gente resolveu tudo. Ele disse eu te amo muito. Muito, muito, eu disse. Ele adorou o presente de dia dos namorados. Ele disse que foi o melhor presente que ele podia ganhar.

Mas hoje eu acordei inseguro. Quando ele respondia sem me chamar de amor eu me perguntei "por que sequer tu tá pensando nisso?". E ele falou muita coisa sobre todas as coisas e tudo estava bem. Eu fui pra academia. Perguntei como foi seu dia. Ele disse que andava muito pensativo. Prolonguei porque eu queria saber dos problemas que ele recusava dividir. Queria que ele ficasse bem, sempre. Insisti mais e veio um texto enorme, quase do tamanho desse, dizendo que precisava de um tempo. Passei uma hora entre quase chorar, responder e pedir ajuda. Dizer que está tudo bem. Que vai ficar. Fumei e tentei pensar em todas as coisas. Não consegui muito bem. Digitei um texto. Foram 3 parágrafos. Como esse namoro de 3 meses que parece que acabou. E o pior é que eu já contei tudo e ainda não sei o que fazer. Eu não sei o que fazer. Ainda.