Será que a Bel Pesce aprendeu mesmo a lição?
Bru Paese
1.4K225

Sabe que concordo em grande parte com o teu texto. O meu problema com as críticas exageradas (não tuas, mas que compartilham alguns pontos com o que tu falou), são dois:

1 — Acho que a galera pegou pesado. Não com a Bel, mas com o projeto. Se tem gente que é fã do Léo, e quer fazer parte da construção de um projeto dele, deixe as pessoas fazerem. Eu mesmo contribuo com blogs e podcasts no Patreon, e “não recebo nada” em troca — “apenas” o trabalho deles.

2 — Uma pessoa pode sim, ensinar, sem ser a mais foda do mundo. Aprendi isso em uma iniciativa (infelizmente encerrada) em Porto Alegre, chamada “Casa Liberdade”. Uma casa colaborativa, que funcionava em um misto de CoWorking e Escola. Lá eu fiz uns cursos do tipo “Acredite nos teus sonhos” (de graça, porque a grana era curta e o pessoal sabia da minha vontade e me convidava pra participar) e eles foram muito bons. Porque, diferente do conteúdo que eu vi da Bel, eles trabalhavam a auto-confiança, ensinando a organizar o trabalho, com ferramentas de produtividade, de organização, técnicas para questionar as minhas idéias, e abraçar o que elas tiverem de positivo, e abandonar o que tinham de negativo, para que pudessem evoluir e não serem esquecidas.

Aprendi meditação, o que foi muito importante para melhorar a minha concentração e qualidade de vida (me ajudou a perder 20kg. Agora eu medito quando ansioso, ao invés de comer um monte). Também aprendi a me relacionar melhor com as pessoas, e mais um monte de coisas.

E não aprendi com pessoas que esperaram ficar milionárias ou super reconhecidas. Aprendi com pessoas que tinham um bom conhecimento em algo, que eram esforçadas, e que queriam compartilhar o conhecimento que tinham. Eles me apresentaram várias coisas, tiraram preconceitos (com a meditação, por exemplo), e me mostraram que existia mais coisa além do meu mundo.

Elas tinham conhecimentos que eu não tinha, e quiseram compartilhar. E nesse compartilhamento, construímos mais conhecimento. E foi bom pra todo mundo. Portanto, se você acha que pode ensinar algo, ensine. Você não precisa tomar uma postura de que o conhecimento é estático e uma construção feita por ti, e absorvida pelos alunos. Você pode usar o que você sabe, para ensinar e ao mesmo tempo construir mais conhecimento. Dê aulas.