John John Florence, IMC 25-30, PCC, La Coste, água oxigenada e livre mercado.

Deve ter sido lá pelos finais dos anos 80: Armação Ilimitada.
Teve reprises. Não assisti.
Um pessoal praieiro ensolarado cabelo dourado corpo de revista Mens Health.
Coisa de cultura do surf, que tava bombando lá nos Isteites. 
Granola, cabelo despreocupado com entrevista de emprego, pele queimada de Sol (muito diferente de melaninada), pranchas caras e umas patricétes lisas pro fim da session. Paraíso.
Arpoador é pra todo mundo. 
Aham. 
Lá dos morros desciam uns pele preta, cabelo oxigenado e bermuda qualquer coisa (teve gente que deixou de usar Cyclone por conta de um novo "público"; e tem gente comprando roupa da Dickies, que produzia uniformes pra massa carcerária dos EUA: que coisa, não?). 
Estômago vazio e cabeça loira igual a da TV. Açaí? Nunca vi nem comi eu só ouço falar.
Debaixo do braço um foguete assinado pelo shapper Kalashnikov: vários aéreos. Traçantes.
Cada um tira a onda que pode, né?
IMC's entre 17-18 e 25-30 não combinam com o surf: não é esporte pra desnutrido/subnutrido e gordos.
Tem que estar no equilíbrio, igual à idéia lá da Town e Country e do Ying Yang.
Se não pode, tinge os cabelos ou compra umas roupas das marcas.
Pague um veneno, ou seja o puro veneno: compre.
Mas não espere ser garoto propaganda.
Quando pobre vai assistir campeonato de surf é chamado de "gente feia/favelado" - isso se a polícia deixar ele chegar na praia. 
Quem usa uns 6 tamanhos à mais que o John John Florence não é modelo fotográfico; curioso o fato desses personagens populares ficarem de fora das propagandas, sendo que eles são 90% dos consumidores dum produto/esporte que movimenta 7 bilhões de Reais anualmente no Brasil (pesquisa esses números aí, e se conseguir matar minha curiosidade, responda nos comentários).

...

Pede pro Michel Gondry vir produzir: "kamikazes e kawasakis: a terra do Sol Nascente em São Paulo é a Leste Side".
Geral alinhado de La Coste, pra mostrar que também pode.
Tu não é à favor do neo liberalismo?
Segura esses anarco capitalistas, então.
Eles tem firma aberta e reconhecida, contador e advogado e segurança privada fortemente armada.
Não é isso que tu apóia?
Livre Comércio, não é?
Todo mundo quer consumir, e aí? 
Tu tá passando qual vontade, lindão?
E necessidade?
Tá, fala pra mim, quanto custou aquelas férias da faculdade que você tirou aquela foto tipo namastê na natureza?
Mas coloca todos os ítens na conta: tua canga, teu biquíni, tua yoga, teus piercings, tuas tatuagens da hora, teu corpitcho de leite de amêndoas, tua progressiva e tuas mechas californianas.
Aí tu vem sugerir o desapego de bens materiais, certo?
E que pobre tem que ler e estudar se quiser ser alguém na vida.
Tá firmão. Pra estudar na pública é levando borrachada tentando meditação.
O tapa que o PM dá na orelha do estudante que protesta faz o som de OHM. É só fechar os olhos que tu atinge o Nirvana.
Solta o ar, murcha a barriga (levanta os braços pra ajudar) e se responde: tá confortável aí no seu padrão Instagram?

31/05/16

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.