Sonhar é fundamental

Tudo aconteceu muito rápido. De repente, fomos todos transformados pela revolução. Sua vida mudou. A nossa também.

Agora, somos oficialmente habitantes da primeira civilização em rede. Pela primeira vez na história da humanidade, mais da metade da população mundial está conectada em escala global para compartilhar, colaborar e construir uma ampla rede viva, pulsante e criativa ao redor do planeta

Com uma mistura de euforia e ansiedade, estamos sentindo o forte impacto das mudanças culturais, econômicas e sociais provocadas por intensas e seguidas disrupturas que, com uma velocidade exponencial, desafiam qualquer tentativa de definição sobre o nosso futuro.

Por isso, nunca estivemos tão vulneráveis e entusiasmados ao mesmo tempo. Simultaneamente, fronteiras nacionais estão sendo derrubadas, padrões culturais questionados, enquanto movimentos de inovação, ativistas e coletivos estão se organizando para provocar transformações, ressignificar valores e construir novas referências para as próximas gerações.

Com ou sem dor, vivemos os efeitos de uma nova era baseada na incerteza, na instabilidade e na transição permanente. Fomos avisados. Sabíamos que os recursos naturais seriam escassos, que o clima iria mudar e que atingiremos 9 bilhões de pessoas na Terra em 2050.

Mas acredite, há esperança. Se formos guiados pela criatividade (e não pelo medo), seremos capazes de solucionar os principais problemas da humanidade. Acredite. Até o último segundo de vida, somos infinitas possibilidades.

Sonhar é fundamental. Em alguns lugares do mundo, as jornadas de trabalho já são menores do que o tempo recomendado por especialistas para o sono. É a prova maior de que o trabalho não é tão importante quanto o sonho.

Fomos avisados. Nossa expectativa de vida aumenta a cada inovação. As cidades estão cada vez mais estruturadas e a revolução tecnológica provocará a maior transformação em nossa sociedade desde a revolução industrial. Infelizmente, não há matéria-prima suficiente e muito menos espaço para guardar tanto lixo. Quem diria, então, que o lixo se tornaria a nova matéria-prima?

A criatividade é a essência de uma nova sociedade. De uma nova cultura e de uma economia. Mas a criatividade é uma manifestação humana que depende de um ambiente que a incentive e estimule. Não há espaço para a criatividade e para o empreendedorismo em territórios pouco férteis para semear ideias. Para isso, é preciso um lugar com abertura para o novo, com liberdade de pensamento e interação, diversidade cultural e, acima de tudo, conectividade e tolerância. As pessoas precisam desejar essa sensação de troca, colaboração e compartilhamento. Precisamos criar oportunidades. Promover conexões.

Família, amigos, comunidades, bairro, cidade, país, planeta. Somos todos de uma mesma casa. Sim. Há esperança. E ela é irmã da criatividade e filha da liberdade.