Criança, A alma do negócio — uma crítica

O documentário aborda o tema publicidade dirigida ao público infantil. O doc começa dizendo que uma criança precoce acaba sendo mais consumista. O meu pensamento mais recorrente durante o doc foi “se os pais estão insatisfeitos, eles deveriam parar de comprar coisas para as crianças”. O que há de tão poderoso no pedido de uma criança que todas as mães que falam no documentário não conseguem simplesmente dizer não? A socióloga Inês Silvia Sampaio fala no doc deixa claro a inabilidade desses pais em ser mais presente na vida de seus filhos.

“O que se vê nas propagandas e novelas é que elas ensinam competição” Em algum momento pessoas vão competir por alguma coisa, as pessoas não são iguais e é no mínimo mentira dizer o contrário. Na vida adulta a pessoa não faz nada sem passar por uma competição, e o que há de errado com isso? É justo uma pessoa mais competente ser de alguma forma punida ou inferiorizada por causa de alguém menos competente?

“Mata e rouba por um tênis importado” Seria essa uma tentativa de endossar a responsabilidade por um crime? Será mesmo que um crime é causado por uma propaganda e o status que o produto roubado traz? Ou a culpa é simplesmente do ladrão ou homicida?

A psicóloga Solange Jobim fala que quanto mais as crianças consomem mais elas querem. Como doutora ela já devia ter percebido que o ser humano propriamente dito é insaciável e isso acontece desde que o mundo é mundo. Não é certo dizer que a culpa é da propaganda.

Os adultos que falam no doc parecem acreditar que as crianças agora vivem em algum tipo de período escolar apocalíptico onde só é aceito quem consome determinados produtos. Basta você passar um dia observando qualquer momento de recreação infantil de qualquer instituição para ver que isso não é verdade. Por mais que as crianças estejam mais ligadas em tecnologia atualmente ainda não é comum vê-las praticando ostracismo umas com as outras por conta de produtos.

Algumas mães que se manifestam no doc sequer escondem que enchem seus filhos de produtos para diminuir o fato de que são muitas vezes ausentes. Parece justo culpar propagandas infantis por conta das prioridades de certos pais? Não é nenhum segredo que crianças que recebem tudo que pedem tornam-se adultos difíceis de lidar, mas parece que negar um pedido sequer passa pela cabeça de qualquer mãe presente no documentário que obviamente culpa as propagandas por ver que seu filho gosta muito de ter coisas.

“Meus filhos assistem muito a tv e isso prejudica a criatividade” Parece que é impossível mesmo controlar um humano pequeno. Sabendo que crianças precisam ser estimuladas em diversas áreas mentais e físicas, os pais deviam fazer algo a respeito em vez de simplesmente permitir que apenas assistam a televisão sempre que quiserem.

“As meninas não querem mais ser mães das bonecas” Antigamente as mulheres não podiam ser nada além de mães, você pode culpar uma menina por simplesmente querer ser uma mulher bem-sucedida?

“Como você faz a criança viver uma vida imaginária ela não amadurece” É, crianças vivem vidas imaginárias e isso é normal. O processo de amadurecimento é outra história e tem a ver com outros fatores, não só com o que a criança brinca ou deixa de brincar.

“Garotas estão mais precoces e sexualizadas” Infelizmente isso acontece e muito. Um dos marcos da sexualização infantil foi com o lançamento do livro Lolita de Vladimir Nabukov em uma época onde quase não haviam propagandas, o que dirá propagandas direcionadas ao público infantil.

“Propagandas causam obesidade infantil” Não, as propagandas oferecem produtos e os pais decidem se compram ou não. Crianças não tem dinheiro, é difícil demais comprar algo mais saudável pro seu filho? Sabendo que esses produtos causam mal, por que os pais que falam no doc não fazem nada a respeito? Aliás fazem sim. Comprar tudo de mais gorduroso para suas crianças e culpam as propagandas porque elas estão ficando obesas.

O documentário mostra países europeus que proibiram propagandas infantis dando a entender que só porque um país europeu fez então está certo. Partindo da ideia de que só porque um país europeu fez então está certo deveriam copiar a lei russa que torna ilegal a homossexualidade.

“A criança é não devem comprar porque são vistas pela lei como incapazes” Sim, geralmente o que as crianças têm e comem são compradas pelos pais ou responsáveis, mas é claro que as consequências desses atos não são culpa dos pais. É da propaganda(leia isso com o máximo de sarcasmo possível).

“O Estado e o mercado precisam se comunicar e regular a liberdade de expressão comercial” Isso é errado de tantas formas…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.