DEVANEIOS

Já paras-te para pensar o porquê você faz o que faz? Qual é o sentido de tudo que você vive? Trata-se de mais uma daquelas perguntas que nunca foram respondidas.

Acredito que o sentido da vida é cada um que cria, porém me vejo questionando isto por várias razões. Desde pequeno nos é apresentado um modo de vida ideal, como ser bem sucedido profissionalmente, ter o carro do ano, um cônjuge rico, casa na praia, fazer faculdade, ser rodeado de amigos. Não parece familiar à você todas estas coisas? Pois bem, parece-me que todos estes objetivos fixados em nossas mentes desde pequenos é que nos norteiam na vida, é o que causa sentido.

Quantas vezes estamos “buscando crescer”, arranjando um emprego ou estudando excessivamente, porém, lá no fundo há um sentimento de vazio, de não saber se realmente quer estar ali, como se todo aquele “sacrifício” não parecesse que é para algo tão promissor assim.

Este vazio pode ser traduzido e interpretado de várias maneiras, seja aquele sentimento de crise existencial, aquela vontade de comer incontrolável, aquela ânsia de dormir a todo momento, a vontade de somente parar e sair do seu mundinho e viajar para algum lugar exótico onde houvesse algo novo. Talvez a resposta já esteja dentro de cada um, mas estamos seguindo o sentido que os outros querem e acham que é o melhor para nós.

O problema é que mais cedo ou mais tarde provamos o gostinho da felicidade e nos perguntamos o porquê de termos sido tão infelizes todo este tempo, o por que de tão rancoroso? Por que tão preocupado? Por que tão tristonho? Por que tão frio? Por que deixaste de ser aquela pessoa tão alegre e todos gostavam de ter por perto? Talvez seja porque o que restou de você tenha sido somente o que os outros lhe acrescentaram.

Em contrapartida vejo pessoas determinadas, encarando o sacrifício do dia a dia com uma perspectiva de aprendizado, pessoas felizes com o que tem e buscam incessante e inesgotavelmente melhorar sua vida. Estas que procuram realizar o que sonham e trabalham duro para alcançar tais objetivos em prol de alguém ou de algo. Essas pessoas sabem o que estão fazendo de fato? Acredito que sim e por hora, pretendo ser uma delas pois volto á minha velha reflexão de que, quem dá sentido a vida somos nós mesmos, porém, cabe a cada um de nós enxergar aquilo que nos convém ser batalhado, pelas pessoas que valham apena, não por aquele namoro que já esfriou, por aquelas amizades falsas ou por familiares que não te dão valor, e sim por pessoas que valorizamos, que quando olhamos deixam um brilho em nossos olhos, pessoas que mesmo não tendo nada queremos dar o mundo pra elas. E por fim, lutar por outras coisas além de somente que tenham sentido material, coisas passageiras, coisas que no final não lhe trariam o regozijo de uma vitória gloriosa. Acredito que, por achar sentido nas coisas para lutar é que dá sentido a vida.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.