Por motivos de saúde tive que adiar bastante (começando o ano bem, não?), mas finalmente está ai!

2017 foi um ano de muita transição, desafios, ganhos, perdas, e resolvi compartilhar isso pois acho que pode ajudar algumas pessoas que passaram, estão passando e passarão por coisas parecidas.

Alguns dos crachás desse ano. (#fikdik para os eventos que não tiveram D: )

Dividi por meses (pulei alguns) e depois, uma conclusão de tudo isso.

2016:

Um monte de loucura que me fizeram chegar ao que cheguei em janeiro de 2017.

(sem imagem para ilustrar essa desgraça de ano).

Janeiro:

Já tinha me tornado straight edge, desempregado, solteiro, dívidas, raiva, ódio, medo, sem dinheiro pro aluguel, sem esperança…


NOTA: Esse artigo foi traduzido originalmente de: How Flexbox works — explained with big, colorful, animated gifs, com a autorização de Scott Domes. Todos devidos os créditos à ele.

O Flexbox promete nos salvar dos males do CSS puro (como o alinhamento vertical).

Bem, o Flexbox chega nesse objetivo. Mas dominar seu novo modelo mental pode ser desafiador.

Então vamos dar uma olhada em como o Flexbox funciona, sendo assim podemos usá-lo para construir layouts melhores.

O princípio base do Flexbox é tornar os layouts flexíveis e intuitivos.

Para conseguir isso, ele permite que os containers decidam por si mesmos…

Lucas J S

Front-end | Digital Design @anhembimorumbi | Speaker

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store