Como eu passei a ganhar 50x mais e o preço que paguei por isso

Nada nessa vida vem de graça.

O foco não é no quanto estou ganhando hoje, mas sim em qual foi o preço que paguei para ter uma vida mais confortável. Esse texto é um desabafo, uma crítica e um relato sobre o que aprendi até aqui.

Esse texto é bem pessoal e por isso eu gostaria de dividir como tudo começou…

Eu sou de uma cidade chamada São José da Safira — Minas Gerais, minha cidade tem aproxidamente 4 mil habitantes.

É uma cidade que vive majoritamente do garimpo.

Eu vivi lá até os meus 17 anos, minha vida foi bem tranquila. Tenho 6 irmãos, cresci com 2 e conheci os outros nos últimos anos.

Fui criado por uma mãe solteira e tive vários problemas na minha juventude com o meu pai, até por isso era conhecido como “revoltado” nessa época :)

Aos 17 eu fui para São Paulo e aqui começa a minha trajetória profissional.

Janeiro, 2009

04 de Janeiro de 2009, eu ainda me lembro desse dia… Arrumei minha mala e embarquei naquele ônibus, era para ser uma experiência de alguns meses e durou 8 anos…

São Paulo foi o divisor de água na minha vida, no meu primeiro mês lá eu comecei a trabalhar na Ótica Potí, recebia um pouco mais que um salário mínimo para trabalhar dás 6:00 ás 18:00, buscava óculos na Républica, lavava a ótica, atendia cliente e ouvia que não podia mexer no computador da ótica pois tinha risco de estragar hahahhaa

Mas eu aprendi uma coisa importante alí, trabalhar naquele ambiente me colocou os pés no chão e me mostrou que humildade é uma virtude.

Cansei da Ótica, comecei a trabalhar no Call Center, atendia o telefone e ajudava as pessoas com problemas na internet. Não tinha um feedback bom, pois eu tinha que vender os produtos e eu não achava justo o cliente pagar por algo que ele poderia ter de graça.

Não consegui trabalhar muito tempo naquele Call Center, me sentia muito mal em ter que enganar as pessoas para ter o meu salário.

Mas eu aprendi uma coisa importante alí, a maioria das empresas não tem não aí com o que cliente acha, o foco é o seu dinheiro.

Julho, 2011

A essa altura eu já tinha aprendido a como viver em São Paulo, já havia começado meu curso para me tornar um Cientista da Computação e já havia perdido algumas coisas.

Eu via minha família e amigos de Minas Gerais 1 vez no ano e aqui eu tinha perdido o mais importante, eu tinha perdido minha felicidade.

Eu era triste, mas só por dentro.

É importante falar sobre isso, eu era infeliz e muito! Eu odiava tudo em São Paulo, eu odiava o fato de não ver minha família, odiava meu pai por não ter sido um pai presente, me odiava por não saber o aniversário dos meus sobrinhos, odiava a vida de trabalho, faculdade, trabalho, faculdade…

Eu emagreci 12 kilos nessa época, andava super depressivo e sem vontade de fazer as coisas.

Aqui eu desisti.

Desistir é normal e as vezes é preciso, acredito que existe uma falácia muito grande que você não deve desistir nunca. Vai por mim, as vezes é preciso coragem até para desistir.

Eu voltei para Minas Gerais nas férias de Julho e decidi que não iria voltar para São Paulo mais, aquilo não era para mim, era doloroso demais, era sofrido e angustiante.

Agosto, 2011

Eu já tinha minha cabeça feita, iria trancar minha faculdade e viver minha pacata em Safira. Até que recebi um e-mail da faculdade, era um e-mail dizendo que as aulas iriam voltar em breve e que eu precisava fazer minha rematrícula.

Aqui eu tomei uma decisão muito importante na minha vida.

Eu voltei atrás, eu desisti de desisti. Eu aceitei o fato que eu teria que comer o pão que o diabo amassou e ainda iria pedir para empacotar o resto para a viagem. Eu aceitei que as coisas não iriam ser fáceis mas que eu iria superar.

Voltei para a São Paulo e comecei um estágio na minha área de atuação.

Janeiro, 2012

No começo de 2012, eu havia sido contratado na empresa que fazia meu estágio e passei a ganhar 2x mais o meu primeiro salário.

Eu me matava muito para fazer as coisas acontecerem, acordava as 5 da manhã, ia para o trabalho, do trabalho para a faculdade, da faculdade para a casa. Chegava em casa ás 23:30–00:00, comia algo e ia dormir perto dás 1h da manhã.

Aqui começa o que foi o meu maior erro, me dedicar exclusivamente ao trabalho.

Sim, deu certo, poucos meses depois eu fui promovido no trabalho, depois outra promoção e depois um aumento.

Novembro, 2012

Meu último mês na empresa, era uma empresa pequena e já não dava para subir mais ou assumir outras responsabilidades. Aqui eu já estava ganhando 7x mais o meu primeiro salário.

Decidi ir para uma nova empresa, fiz algumas entrevistas e comecei a trabalhar em empresa grande.

Nesse período eu fiquei quase 2 anos sem ver a minha família, aqui eu perdi muito.

Eu fui me tornando uma pessoa fria, meu foco era o trabalho e isso era a única coisa que importava, eu me dedicava a isso e eu vivia isso. Eu não dava valor as relações com outras pessoas e nem mesmo pensava em mim. Eu era o meu currículo.

Agosto, 2014

Trabalhando de forma insana, eu fui promovido várias vezes até o momento que a empresa entrou em uma situação financeira difícil e foi o momento de procurar um novo desafio.

Nesse ponto meu salário era 12x meu primeiro salário. E eu era 10x mais infeliz.

Aqui eu me perguntava todos os dias o que me faltava, pois eu tinha “tudo” que eu precisava.

Aqui o desgate começou a ser mental, eu desenvolvi crises de enxaqueca e viva no hospital por crises de estresse.

Eu decidi então que iria tentar muda algumas coisas na minha vida e “pegar” mais leve, uma grande mentira, mas vida que segue…

Janeiro, 2015

Encontrei uma empresa legal e comecei a trabalhar no começo de janeiro, eu estava mais contente, o meu trabalho era um pouco mais tranquilo, o ambiente era mais relaxado e as pessoas bem animadas.

Mas o dano já tinha sido feito.

Percebi que as coisas do mundo estavam pesando ainda mais, eu sentia falta demais da minha família, queria resolver os meus problemas da juventude e queria ficar mais perto das pessoas que eu amo.

Trabalhei um tempo e consegui um acordo, fiz um acordo para trabalhar de Minas Gerais por um tempo e ir para São Paulo uma vez a cada 2 meses.

Agosto, 2015

Fiz as malas, voltei para Minas Gerais, wow! Que vida feliz. Estava perto da minha família, perto dos meus amigos e vivendo uma vida bem tranquilinha numa cidade de 4 mil habitantes. Nada do desespero de São Paulo e ainda ganhava 22x mais o meu salário inicial.

Como diz os Engenheiros do Hawaii, conheci um guria que eu já conhecia. Embarquei em um relacionamento sério e a vida parecia estar nos eixos.


Gostaria de fazer uma pausa aqui e divagar um pouco nesse período, esse foi o momento onde eu percebi que o dinheiro era só um número, um detalhe, o importante mesmo não possui preço. A sociedade, mundo, família, amigos, companheiros, as vezes nos pressionam para sermos bem sucedidos, para termos isso e aquilo, mas o sucesso é algo bem pessoal.

Eu era o cara mais bem sucedido do mundo alí.


Março, 2016

Como nem tudo são flores, a empresa em que trabalhava me chamou de volta para São Paulo, eu podia rejeitar e procurar algo em outro lugar, mas eu gostava de trabalhar lá e achei que essa poderia ser uma boa ideia.

Aqui eu cometi um erro grande novamente, eu tinha esquecido o quão ruim São Paulo foi para o meu psicológico e aceitei embarcar novamente nessa jornada.

Não conseguia me sentir da mesma forma e isso começou me fez criar um blindagem, eu entrei em modo de sobrevivência.

Aqui meu relacionamento começou a não ficar legal, a culpa foi totalmente minha, eu não conhecia manter o relacionamento a distância, meu trabalho e minhas crises.

Aqui eu cometi mais uma vez o erro de tentar resolver tudo sozinho e esqueci tinha várias pessoas que poderiam me ajudar. Eu falhei miseravelmente tentando ser totalmente indepentende dos outros e carregamento todo o peso para mim.

Janeiro, 2017

A vida não já não andava aquelas coisas e o universo queria me castigar um pouco mais, minha vó (saudades) começou a ficar mais doente e já dava sinais que não iria durar muito.

Um dia eu recebi a ligação da minha mãe me avisando que ela já estava nas útlimas e ela fez algo que nunca tinha feito antes, ela me disse “Lucas, talvez seja a hora de voltar para casa”


Essa parte merece uma pausa também, as vezes você acha que tem tempo e que vai dar tempo. Nem sempre é verdade!

Confesso que algumas lágrimas correm do meu rosto enquanto escrevo esse parágrafo, essas são lágrimas de aprendizado.

Aqui eu cometi um erro gigante, eu não fiz o que meu coração mandava.


Minha vó se foi e eu já não tinha mais chão, eu não conseguia ir para casa e ter todas as lembranças lá e já não conseguia ir para São Paulo e lembrar tudo que eu perdi por ter ficado lá.

Eu decidi que precisava tentar algo novo, nessas tentativas acabei sendo aprovado para uma vaga na Suécia e decidi embarcar.

Junho, 2017

Aqui eu deixava o Brasil, minha família ficava para trás, minha noiva na época e um bocado de amigos.

Cheguei na Súecia com um objetivo, começar de novo. Dessa vez respeitando mais o meu tempo, não acelerando tanto mais e tentando cuidar das pessoas que estavam perto.

Aqui eu falhei novamente, foquei demais no trabalho, não consegui manter o relacionamento e perdi a noiva. 100% minha culpa, aqui eu tinha o salário 50x maior que o inicial e sentia o vazio 100x maior.

Passei por uma bad enorme, onde tive que olhar para cada um dos meus erros e entender o porquê de cada um.

Aprendi bastante sobre mim mesmo e comecei a olhar mais para dentro, aprendi que é importante cuidar das pessoas que você gosta e passei a tentar ser mais presente na vida daqueles que são importantes para mim.

A verdade é que eu passei tempo demais sendo um bom profissional e esqueci de descobrir quem eu realmente era, e esse tenho sido meu desafio e objetivo.

Novembro, 2018

Aprendi várias lições, Sexta-feira passada eu me demiti de um trabalho que já não me fazia feliz e decidi pegar um tempo só para mim.

Essa é a primeira semana de folga e decidi compartilhar essa reflexão com vocês, é realmente importante para mim ser apto de compartilhar isso, e falar dos meus sentimentos e aprendizados de forma mais aberta.

Hoje eu sou um ótimo profissional, mas meu objetivo agora é ser uma pessoa bem melhor.

Eu aprendi bastante até aqui e o mais importante é que você deve seguir o seu coração, as vezes você vai ouvir uma voz dentro de você dizendo “Vá!” e você precisa ir.

Eu perdi muita coisa no caminho, eu paguei um preço bem alto para estar aqui, mas de certa forma isso me tornou uma pessoa melhor também.

Eu confesso que eu faria MUUUUUUUUUUUUUUUUITA coisa de forma diferente, mas infelizmente não dá voltar no tempo e a gente tem que aprender a se perdoar e seguir em frente.

Hoje eu sinto que ainda vou ficar um bom tempo longe da minha família, mas eu sei que isso também é necessário no momento, hoje eu preciso de um tempo para mim e um tempo para cuidar de mim.

Foram várias histórias até aqui e isso é um pouco do que eu sou.