Um caminho que obviamente é mais parecido comigo.

E como se eu tivesse entrado nas páginas de um desenho, um anjo e um demônio apareceram em meus ombros. Enquanto o loirinho de cabelos cacheados dizia:

- Fica, você tem uma vida boa por esse caminho.

O outro dizia:

- NÃO! JOGA TUDO PRO AR! VAI-SE EMBORA, COVARDE!

A briga entre eles se estendeu por alguns minutos e por fim, o Diabo só repetia:

- Covarde… — Covarde! — Covarde!

A essas alturas já havia me irritado com o camarada do garfo. Decidi então conversar com aquele que parecia ser mais racional, educado, calmo, que me passava conforto e passividade. Ele me dizia o quanto não compensava eu mudar de trabalho em prol de uma aventura incerta.

O ouvi por horas e ao fim, respondi:

- Covarde!

O Diabo sorriu, e como num chamado, vários outros como ele apareceram.

E assim, abracei meus demônios e segui por um caminho que sempre foi o obviamente mais parecido comigo.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Lucas Martins’s story.