O falso empreendedor de meio turno

Este texto fala sobre o meu primeiro grande erro como empreendedor.

Primeiramente gostaria de dizer que o falso empreendedor de meio turno relata o meu primeiro erro. Você pode ser empreendedor de meio turno, e talvez isto não seja um erro para você. Se você mudar de ideia, por favor comente no fim. =)

Empreendedor segundo Dicio
s.m. Indivíduo que possui capacidade para idealizar projetos, negócios ou atividades; pessoa que empreende, que decide fazer algo difícil ou trabalhoso.
adj. Que tem capacidade para empreender, para fazer algo difícil.

Desde que Hollywood resolveu contar a história de sucesso de Zuckerberg, empreender virou algo sexy, desejado e simples. Quando a demanda pela palavra Startup cresceu, foi rápido o surgimento de gurus, organizações e autores buscando compartilhar experiências e conhecimento, no meio de tudo isto alguns tentando vender tickets.

Eu sempre fui um desenvolvedor de software com algumas características de empreendedor. O que me levou a ocupar cargos de liderança e pedir demissão em todas empresas que eu passava. Os motivos para pedir demissão eram diversos, na grande maioria por não concordar com a cultura da empresa.

Por ter esta vontade enorme de iniciar meu próprio produto e possuir as skills necessárias para construir um website, sistema ou aplicativo. Consegui executar várias ideias nos últimos 5 anos.

Sempre mantive uma rotina de ter um emprego fixo + construir algo próprio. Eu iniciei esta rotina em 2011, quando criei meu primeiro aplicativo, o Finança Pessoais. Alcançando 68 mil usuários ativos em 2013 e mais de 800 mil downloads, comecei a monetizar o projeto através do modelo freemium. Mas como falei, eu só tinha características empreendedora, e por esta razões sempre mantive um emprego fixo, podendo ele ser CLT ou então da minha própria empresa de prestação de serviço (Moolab fundada em 2012).

Com medo de perder meu estilo de vida alto, mantive tudo isto rodando em paralelo. Minha falta de foco era gigantesca e influênciado pelos eventos de Startup, acreditei que conseguiria fazer isto part-time, mantendo minha renda até que algum investidor aparecesse e investisse em uma das minhas ideias/aplicativos brilhantes. Mas a realidade é que dificilmente um investidor vai colocar o dinheiro dele em um empreendedor que não esta disposto a enfrentar riscos por sua ideia.

Este foi meu maior erro, demorei tempo demais para acreditar na minha startup. Eu acreditava que era possível empreender part-time. Acreditei por muito tempo que a melhor opção era continuar com meu salário fixo e trabalhar a noite de uma maneira mais inteligente, gerenciando freelancers e automatizando processos. E no fim, esta é a maior bobagem que existe, pois você vai enfrentar concorrentes que estão 100% focados e trabalhando de forma inteligente. O que você me diz disto?

Because the people who really crush are doing that. You’re working smart and hard. Why not both? — Gary Vaynerchuck

E pensa bem, se você realmente acredita em sua startup e mesmo assim não esta focado 100% nela, você vai perder o time to market, seu concorrente vai estar sempre a sua frente e quando você menos perceber, você não vai mais ser relevante.

Voltando para minha história. Depois de falar com minha família e amigos, pensei muito sobre o assunto, e em abril de 2015 decidi pedir demissão e começar a empreender. Como eu estava acostumado a trabalhar durante as madrugadas, logo de cara eu pensei que os resultados viriam super rápido, pois agora estava trabalhando full-time.

Três meses, este foi o tempo que eu imaginei que conseguiria um investidor e colocaria em prática o novo modelo de negócio que eu estava na cabeça (Consultoria financeira através do atual aplicativo Finanças Pessoais).

Trabalhando mais de 80 horas por semana e enfrentando dias de extrema ansiedade, percebi que seria impossível alcançar os meus objetivos em apenas três meses. Com a grana curta e tendo que tomar decisões que eu nunca tive que tomar como empreendedor part-time .— vender meu carro para injetar grana na empresa ou ter que demitir um membro do time? Aceitar um investimento menor abrindo mão de equity ou entrar no cheque especial mais um pouco para conseguir um investidor estratégio logo ali na frente? — Eu descobri que estas decisões importantes só existem em um contexto onde você depende 100% de sua startup. Assumir estes riscos e sofrer com as consequências fazem parte do seu papel como empreendedor.

Acordar sabendo que você e sua equipe dependem financeiramente da sua startup, esta é a maior motivação que você pode ter. A fome é o seu diferencial competitivo.

Aí você vai falar — deixa de ser otário, eu acredito na minha ideia, é que eu tenho contas a pagar, não posso largar tudo e viver de uma ideia. — O que você esta me dizendo então é que você não pode arriscar perder o que tem, mas você acha que o investidor deveria arriscar colocar o dinheiro dele na sua ideia?

Veja bem, não estou falando que você não deve validar sua ideia antes. No meu caso, o Finanças Pessoais já tinha validado o mercado, o produto já estava com tração e um dos modelos de monetização ativo e gerando uma pequena receita. Mas a pergunta que eu faço para você é: Você realmente esta disposto a perder o seu dinheiro e tempo pela sua ideia?

Se você não esta disposto a fazer isto e correr o risco de ter que recomeçar, então talvez você não seja um empreendedor. Você pode ser excelente no que faz e ter características de empreendedor, provavelmente isto deve ter ajudado você no mercado de trabalho.

Você é o seu maior investidor, não espere alguem aparecer para bancar o seu salário de CLT para iniciar a sua startup.

Agora, se você realmente quer empreender, você pode estar fazendo o que eu fiz, mentindo para você mesmo que não pode arriscar por 1.000 motivos. Como este foi o meu maior erro, vou tentar passar o que eu aprendi e as decisões que eu tive que tomar. Talvez isto possa reduzir os seus riscos.

  1. Diminua seu custo de vida. Faça isto antes de largar sua renda atual.
  2. Faça uma poupança de 12 meses de despesas média. Eu fiz a minha para 6 meses. Acredite, não é o suficiente.
  3. Encontre Co-fundadores. O valor citado no número 1. não inclui pagamentos, você vai ter que abrir mão de equity. E só uma observação: não espere alguem amar tanto a sua ideia quanto você, nem você fez isto enquanto estava empregado na ideia de outro, lembra?
  4. Consiga bons mentores. Tão importante quanto conseguir bons co-fundadores. Vai ser preciso muito tempo e dedicação para conseguir, reserve algumas horas de sua semana para isto e esteja preparado. Não importa com quem seja a reunião, sempre dê o melhor de si.
  5. Alinhe tudo isto com seu(sua) parceira(o), parentes e amigos. =)

Você também pode pedir um investimento de pessoas que amam você, como amigos e familiares. Isto pode agilizar o item número 2.

Espero que você consiga diminuir o seu risco de começar a empreender e aproveite 2016 para fazer o que você realmente ama.

Não existe razão para que você não faça o que realmente ama neste exato momento. Melhor do que continuar reclamando do seu emprego. ;)

Se você gostou do meu maior erro, clique no coração abaixo. Sei que é ruim ser generalista, mas como estou falando da minha própria história, espero que você entenda.