As flores que nunca te dei

Ou, Essa manhã (noite) escrevi outra música pra você parte dois

Faz duas semanas que não nos vemos, com o tempo a experiência veio e conseguimos lidar melhor com a dificuldade de um relacionamento a distância, mas ainda existem aqueles dias em que o coração tá suscetível a sofrer um pouquinho, mesmo quando já sabemos lidar com essa dor ou aprendemos a viver com ela. A saudade sempre vai existir e eu aprendi isso, mas nessas duas semanas, principalmente, tem sido tão difícil. 
Decidi escrever mais uma música pra você (das várias que te mando semanalmente junto com poemas e pensamentos desconexos), e dessa vez vou explicar cada estrofe e dizer o que eu sentia enquanto te escrevia. 
Maneiras e maneiras de expressar o quanto eu sinto por você.

Calmamente
Luto contra a saudade
Que atormenta a mente
A armadura são minhas lembranças
De você
E o teu rosto que toco lentamente
Mesmo sem te ter

Nessas duas semanas eu realmente me senti num campo de batalha dentro de mim. Eu sentia a sua falta em tudo que eu via e tudo que fazia, como seria bom se você estivesse comigo em todos os lugares que passei e compartilhando comigo tudo o que eu fiz. Pra lutar contra a saudade eu uso a técnica de lembrar sempre que você está aqui, mesmo não estando, entende? O corpo não está aqui, mas eu posso te sentir aqui (Oi, Her), e eu gosto sempre de lembrar como é ter você comigo, e como será melhor ainda quando você finalmente chegar, ou quando eu finalmente for até você. Ás vezes só precisamos esperar.

E eu vou te escutar
Enquanto você bradar
Contra as incertezas da vida
E gosto quando ouve
Da força que obtenho
Quando até penso que não mais a tenho
Enquanto te vejo crescer

E aí eu lembrei que num relacionamento nem tudo são flores, e que vão existir os dias que a rotina vai nos cansar, que a vida vai nos dar aquela famosa rasteira sem oferecer uma mãozinha. Nem todos os dias serão bons e tudo bem. E nesses dias eu estarei lá por você, pra te ouvir, pra te mostrar que ás vezes nem tá tão ruim assim, é só a mente pregando uma peça e te cegando de enxergar o que está realmente acontecendo. Eu sempre estarei lá pra te ouvir reclamar do professor chato da faculdade e do teu colega que fez cagada no trabalho em grupo, assim como sei que você também estará lá por mim quando minhas crises existenciais aparecerem e minha ansiedade atacar em plena madrugada de terça-feira. Eu gosto de lembrar também da sensação que tenho ao acompanhar o seu amadurecimento, a forma como você lida com tudo e como é uma garota incrível que todos deveriam conhecer. É simplesmente lindo ver tudo o que você tem se tornado dos seus 15 até agora os quase 21, o meu medidor de orgulho já tá no talo e parece que você insiste em fazer ele aumentar mais. Que coisa!

As flores que saem do meu coração
Enquanto eu sou você em pensamento e canção
Essas flores eu nunca te dei

Quando não te tenho eu tento te materializar pra perto, nas melhores formas que consigo. Te escrevo o tempo todo, te canto o tempo todo e sou você o tempo todo. Soa estranho, né? É doido, mas é verdade. E desculpa, essas flores eu nunca te dei…

Na dor eu percebi
Que a beleza vem de dentro
É o amor que o coração sente
E de como eu hoje
Poderia te amar
Não importa como você fosse

Amaria tua alma
De qualquer jeito que tu fosse
Porque é da essência que provém
A fragância mais doce que tu tem

Duas estrofes, mas elas tem conexão então não desiste de mim não. 
Estive pensando nisso durante esse tempo, e aí eu assisti Her ontem e conversei com uma amiga hoje sobre esse lance de beleza e como enxergamos ela, ou não enxergamos, em alguns casos. Eu percebi então, enquanto xingava ao universo a saudade que eu sentia, que a beleza vem de dentro de nós, não importa o que tem fora, o que vale é o que somos e o que somos não está estampado na nossa cara, somos um baú trancado que poucos possuem a habilidade de abrir e ver os lindos tesouros de dentro. E eu com certeza te amarei de qualquer jeito, enquanto tiver o que você é dentro desse coraçãozinho, eu te amarei, porque é o que tu és de verdade. Doce, incrivelmente doce.

As flores que saem do meu coração
Enquanto eu sou você em pensamento e canção
Essas flores eu nunca te dei
Porque sempre foram tuas.

…elas sempre foram tuas. E sempre serão.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.