Superar

Eu ainda sinto dor ao pensar em você

Olho a parede, ouço o CD, bate o sofrer

Eu sinto raiva ao pensar em você

Vejo a foto, arrasto pro lado, soco o vidro do banheiro

Passo o dia inteiro de saco cheio sem recesso

Pensando nos excessos, nos acessos, na ausência

De consciência, caráter e decência

Eu sei que sua vida não foi fácil

Que te pisaram, quebraram, amassaram até ficar fragil

E não é sua culpa, de maneira nenhuma

Mas você se tornou mais uma

Que reproduz aquilo que usaram

(e depois se safaram) pra te matar

Que culpa tenho eu do seu coração magoado?

Peguei desconcertado, tentei arrumá-lo

Encaixei as peças, mas permaneceu quebrado

Enquanto isso me dizia coisas lindas

Era o amor da sua vida, a estrela do seu guia

O placebo na estante da enfermaria

Ainda dói o que me fez

Ainda tenho raiva do que me fez passar

Machuca saber que você me desfez

E fez a minha noção de amor mudar

Não há crime maior

Destruir a cosmovisão de alguém

Só porque lhe convém

Fazendo o pior.

30/JUL/2018

— — — — — — — — — — —

Para ser bastante sincero, eu não gostei do que escrevi e muito provavelmente vou alterar quase tudo que tem aqui. Mas eu precisava tirar isso do peito. Então, em respeito a esse momento, às 1h15 de uma segunda, eu vou publicar.