E se der errado?

Por incrível que pareça isso é o que mais me perguntam e eu nunca sei exatamente o que responder.

Woosh

É difícil responder isso. Pensar no que pode acontecer de errado não é um costume meu, normalmente eu olho pras coisas que vão dar certo. O que é dar errado? No que? Em que sentido? Eu erro o tempo todo. Hoje mesmo peguei o ônibus errado.

Errar é bom. Errar é aprender. Errar significa que tu tava lá fazendo. Sei que é clichê, mas quantas cestas o Jordan errou? Ou o Neymar, quantos gols ele perdeu e perde em todos os jogos até ir lá e acertar. Errar faz parte. Por isso a gente precisa aprender a pensar no longo prazo, na caminhada, na jornada e na vida.

Na Fight Analytics a gente tem um ditado: “Deu tudo errado mas deu tudo certo”.

É nisso que eu penso todo dia quando eu acordo, na minha jornada e no que eu preciso fazer pra dar mais um passo nela. Analiso tudo, faço um checklist e me jogo sem medo de errar. Um passo de cada vez.

Oss!
“Nossos medos não nos impedem de morrer, mas sim de viver.”
- Rickson Gracie

Pra empreender tu vai precisar aprender, entre tantas outras, duas coisas bem importantes. A primeira é que se tu não tiver vergonha da primeira versão do teu produto tu demorou muito pra lançar ele. Essa não fui eu que disse, foi o Reid Hoffman, co-fundador do Linkedin e dono de um patrimônio de 4 bilhões de dólares.

A segunda, e agora sim vem do que eu aprendi nesse tempo, é que os teus planos vão dar errado o tempo todo e tu vai precisar tomar decisões rápidas pra contornar os problemas. Existe um termo pra isso: Resiliência. Tudo na nossa vida é inconstante.

“Algumas vezes você ganha, nas outras você aprende.” — John Maxwell

Mas por favor, entenda que errar e aprender é completamente diferente de errar e insistir no erro. Analisa, organiza e vai. Se der errado, vê onde errou, aprende, analisa, organiza e vai de novo. Erra rápido e erra barato. Esse é o segredo.


Você pode sugerir um tema ou dúvida pras próximas semanas. Só mandar nos comentários aqui embaixo :)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.