há mar

que bons ventos te trazem
tão leve que me leva
a pôr o sol pra dormir só
pra contar uma história
na beira da cama da madrugada;
fica parada, deixa pintar esse clima
te liga em mim, caso falte luz na estrada.

comparado ao meu amor e mim
nem lua conhecerá tanto a noite
entre meu amor e mim
vão se levantar saudades lentas
como corpos exaustos sem folga aos sábados
de tanto estudar a anatomia da boca
filosofia adentro
e só me preocupa uma ou outra coisa
pra que fique perfeito o ambiente;
um, a ecologia das coisas que ressoam no peito
dois, os sopros de esperança que
giram hélices eólicas dos sonhos.
três, se há verbo pra gente
se há mar.