Vazia

Emprestei meu coração.
E ele foi roubado,
repassado,
dilacerado e devolvido
- como se fosse possível devolver um coração estragado.

Às vezes, ele cicatriza.
Já machucaram meu coração diversas vezes,
Tantas que ele quase se acostumou.
QUASE se acostumou.

Só que desta vez ele não cicatrizou.
Pelo contrário, está sangrando
Sangrando uma sangria desatada.
Ele sofre, está ferido, está em prantos.

Desde aquela noite, eu choro todas noites.
Não é de raiva
(é um sentimento muito nobre pra eu desperdiçar).
Eu choro é de desgosto
de desconfiança
Eu choro pela máscara ter caído
no chão, na minha frente, no ato da devolução.

Me acabo em prantos
Por desacreditar na minha própria ilusão
de que ela poderia estar evoluindo.

De todas as pessoas do mundo,
nunca pensei que ela não me machucaria
- já o fez tanto -
Mas desta vez, ela dilacerou meu coração.

Usurpou.
Pegou pra si.
Inventou coisas.
Tomou vantagem.
E ainda por cima devolveu
alegando já estar estragado.

Eu não entregaria um coração machucado!
NUNCA!
- tenho outros níveis de sadismo -

Eu me curo e depois me entrego.
Mas desta vez, não tem cura.

Desta vez foi a gota de sangue
que faltava pro meu coração
se esvaziar.

Não consigo ver verdade em seus interesses,
Ainda mais depois desta mentira aplicada em cima de mim.
A mais vil, mais maldosa, e a mais pura mentira:
a de que entreguei meu amor com defeito.

Você estragou. A culpa é sua.
Não tenta jogar em cima de mim.

Não é o material, não é o coração, é a atitude.

Mentirosa.
Falsa. 
Hipócrita.
Vazia.

Sua existência se tornou uma farsa
um disfarce
uma ilusão.

A mentira de que entreguei um coração mutilado me machucou tanto
Que meu sangue vai me afogar, te afogar, e afogar o mundo todo.

Mentirosa! MENTIROSA!

O único remédio é sua redenção.

Não deixa meu coração cicatrizar com machucado,
se não eu morro

E a culpa vai ser sua.
de novo. pra sempre.
para todo o sempre.
amém

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luc Guillande’s story.