Será que o perfeccionismo está te deixando infeliz?

Pixabay's

Sou uma perfeccionista. Durante muito tempo, achei que almejar a perfeição não era uma coisa ruim. Achava que fazia parte de mim e do meu jeito e, que, sem essa característica, meu trabalho não teria valor, eu deixaria de cuidar da minha saúde, me esforçaria menos para alcançar resultados melhores… Enfim, me tornaria super "folgada".

E de fato, o perfeccionismo tem essa máscara de característica positiva porque em teoria um perfeccionista corre atrás até conseguir o melhor, se esforça, se disciplina, se cobra até chegar no resultado que acredita ser o melhor. Em geral, as empresas admiram e incentivam o perfeccionismo. Tanto é que você dizer nas entrevistas que seu ponto de desenvolvimento é "ser perfeccionista" se tornou um clichê, como se você estivesse mentindo para não ter que expor uma fraqueza verdadeira.

Talvez seja por isso que senti tanta dificuldade em admitir os pontos negativos que o perfeccionismo traz e acredito que outros perfeccionistas também tenham essa mesma dificuldade. O meu objetivo com esse texto é ganharmos consciência desse lado "negativo", que acabamos nem prestando atenção.

Então pra ajudar, seguem alguns sintomas ou comportamentos que consegui identificar que estão altamente relacionados com o perfeccionismo:

. ansiedade: existe uma tentativa de controlar todas as variáveis, tanto as que estão no nosso controle (nossas decisões), quanto as que não estão. Por isso, o perfeccionista tem dificuldade em viver no momento presente, ele fica antecipando possíveis cenários futuros com a justificativa de que precisa se planejar, se preparar para todos os cenários. No fundo, esse processo é extremamente desgastante e pouco produtivo, sem comentar que enfraquece relações, porque ninguém gosta de ser (minuciosamente) controlado.

. dificuldade em tomar decisões: justamente por conta do item anterior, fica muito difícil, para não dizer impossível, tomar decisões porque ficam tantas variáveis a serem analisadas e tantos cenários considerados, que é comum entrar em um loop infinito de ficar avaliando, reavaliando, re-reavalinado e nada de tomar decisão. Esse processo também é desgastante e pouco produtivo.

. medo de errar: o perfeccionista detesta errar. Pra ele, errar tem a ver com falta de inteligência e incompetência. Por isso, quando erra, fica se martirizando. A questão é que o erro faz realmente parte do aprendizado. Logo, esse perfil adota uma postura conservadora, na qual evita riscos e o julgamento alheio, limitando seu aprendizado e diminuindo sua autenticidade.

. autocrítica: aqui não tem novidade, né? Esse perfil gosta de criticar os outros, mas gosta mesmo, é de auto criticar. É juiz e algoz de suas próprias atitudes. Bem estressante, não?

. busca por aprovação alheia: esse distúrbio pode trazer uma preocupação forte em agradar os outros porque claro, a maneira como as outras pensam também deve ser controlada pelo perfeccionista, não é mesmo? A consequência disso é frustração e vitimização.

. leva tudo muito a sério: se errar é pecado e nada está perfeito, essas pessoas têm dificuldade em enxergar as coisas com mais leveza. Pelo contrário, tudo torna-se pesado, desafiador, difícil e sério.

. insatisfação: esse penúltimo sintoma acaba sendo consequência de todos os anteriores. Basicamente, o perfeccionismo acaba sendo um grande obstáculo para a felicidade. Nada está bom, tudo poderia estar melhor. :(

. falta de gratidão: Por sempre estar focando no que não está bom ou pensando em quanto tudo poderia estar melhor, o perfeccionista tem dificuldade em agradecer e reconhecer o que tem.

Meu deus, depois de escrever todos esses sintomas, eu chego em uma conclusão: ser perfeccionista cansa, sua energia é basicamente drenada. Não importa se está no trabalho ou de férias, sua mente pode ser sua pior companhia, está sempre te colocando pra baixo ou arquitetando uma nova forma de tornar as coisas melhores, só que adivinha — focando no que não está bom, no que está faltando.

No próximo texto, falarei sobre como eu lido com eles. Por enquanto, gostaria MUITO de ouvir como você lida com todos eles. Existe algum sintoma que você acha que está faltando nessa lista? Me escreva.

Quer saber mais?

Oi, eu me chamo Lúcia Shen e queria te agradecer por ler o meu texto! Clique no pra me ajudar a impactar mais gente.

Eu estudo e escrevo sobre processos de mudança, ansiedade e perfeccionismo. Você pode me seguir no Instagram ou no Facebook pra não perder nenhum dos meus conteúdos.

Se inscreva no meu site luciashen.com se tiver interesse em participar de workshops e palestras. Me mande um e-mail em contato@luciashen.com para agendar um bate papo totalmente GRATUITO se quiser ajuda com algum desafio de carreira ou da vida pessoal que esteja enfrentando.

Quer ler outros textos?

Veja esses aqui: Reflexões para descobrir seu propósito de carreira, O que você precisa saber se quiser um trabalho com mais autonomia e impacto positivo (parte 1) e Você se sente meio perdido? Já considerou em fazer coaching de carreira?.