Por um pouco de silêncio [poema em construção]

Diante dos tropeços que acumulo no dia a dia;

Diante da inércia e do caos que me arrasta —

Permaneço assim: contemplativa.

Uma voz começa a criar forma. E nem de longe posso reconhecê-la.

Tento me aproximar. O esforço é em vão.

A voz se confunde com um fino barulho que cresce lentamente em meus tímpanos.

Já não há mais nada a entender.

Like what you read? Give Luciana Campos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.